Economia

Liderada pelo presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto), empresário Roberto Magno Martins Pires, uma comitiva do Tocantins se encontra em São Paulo onde participa do Encontro Nacional da Indústria - Enai. O evento, realizado anualmente, reúne empresários e líderes de entidades de representação da indústria, dos seus diversos setores e de todas as regiões do Brasil.

Durante a abertura oficial do encontro, na manhã desta quarta-feira, 26, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, destacou as alternativas para o fortalecimento da competitividade da indústria brasileira. “Hoje a luta do empresário brasileiro é a luta por um País melhor”, disse ele, acrescentando que fortalecer o campo do diálogo é sua obsessão. Andrade defendeu ainda uma política industrial forte e duradoura, de longo prazo e que favoreça a competitividade das empresas de um modo geral.

Em sua palestra magna, o ex-diretor do Conselho Nacional da Casa Branca, Lawrence Summers, fez um relato da atual situação da economia mundial, em especial a americana, que segundo ele ainda enfrenta sérios problemas devido principalmente a falta de demandas. Sobre o Brasil, ele afirmou que é o principal produtor do mundo em se tratando de recursos naturais, e que as recentes descobertas do pré-sal colocam o País em posição de destaque, no topo da economia mundial, mas ponderou que algumas coisas precisam ser feitas para que o Brasil possa dar um salto ainda maior, como melhorar a infraestruturar, reduzir gastos governamentais e promover as reformas tributária e política.

No primeiro dia do Encontro da Indústria as discussões giraram praticamente em torno do Custo Brasil, que segundo os empresários presentes compromete a competitividade da indústria brasileira no mercado internacional. Para Roberto Pires, a carga tributária brasileira é demasiadamente pesada, por isso a redução de impostos é imprescindível para garantir a competitividade.

As discussões e debates sobre as questões nacionais no contexto econômico, social e político, que influenciam a competitividade da indústria brasileira e a inserção do Brasil no mercado globalizado, encerraram a primeira parte do Encontro da Indústria. No período da tarde desta quarta-feira será realizado debate sobre as transformações e desafios da indústria globalizada. Amanhã, 27, acontecem as sessões temáticas Educação para uma Indústria Competitiva, a Infraestrutura e o Meio Ambiente: Desafios Institucionais e Construindo um novo Regime Fiscal.

Comitiva

Integram a comitiva tocantinense, além do presidente Roberto Pires, conselheiros presidentes de sindicatos de indústria, a diretora do Senai Tocantins, Raimunda Tavares, a superintendente do IEL, Roseli Sarmento, o chefe de gabinete da presidência, José Roberto Fernandes, e alguns colaboradores. (Ascom Fieto)