Polí­tica

O ano vai chegando ao fim e após o prazo para filiações dos que pretendem se candidatar as movimentações dos pré-candidatos se intensificam. Na corrida pela Prefeitura de Palmas algumas articulações já estão em curso pelos partidos ou individualmente pelos postulantes.

A vice do prefeito Raul Filho (PT) e indicada pelo PDT, Edna Agnolin afirmou recentemente ao Conexão Tocantins que segue à frente dos projetos que idealizou junto a prefeitura como o Pólo de Confecções, a implantação do Sine Palmas e ainda a sistematização do programa “Uma Cruzada contra as drogas”.

Nos bastidores alguns aliados da vice-prefeita afirmam que ela dá como certo o apoio do prefeito Raul para que sua candidatura se consolide. A vice-prefeita intensificou o contato com lideranças comunitárias e segue firme no propósito de consolidar seu nome e ganhar o apoio do grupo de partidos que apoia o prefeito.

Neste grupo está o PTN que voltou para o comando do vereador José do Lago Folha Filho. O parlamentar defende uma articulação forte para enfrentar o candidato que o Palácio Araguaia deve lançar. Só que o comando estadual da legenda é da base do governador Siqueira Campos e deve tentar virar o jogo.

Para a chapa proporcional o PTN tem a meta de ser um dos partidos com melhor desempenho chegando a eleger até 4 vereadores. Vale frisar que para voltar ao comando do partido na capital Folha teve ajuda do senador João Ribeiro (PR) e do prefeito Raul Filho.

Independente

Do PPS o deputado Sargento Aragão afirma que também é pré-candidato e que pretende tentar consolidar sua candidatura. O partido deixou livre a decisão de coligações para 2012 nos municípios. Em Palmas, Aragão afirmou ao Conexão Tocantins nesta sexta-feira, 4, que na capital o partido é independente.

Sendo assim o PPS , segundo o deputado, não está no grupo de partidos aliados ao governador nem na base de legendas do prefeito Raul Filho. “O PPS vai escolher a coligação que vai fazer. O PPS é independente em Palmas”, salientou.

Para 2012 o parlamentar afirma que não descartou possibilidade de alianças com nenhum dos dois grupos. “O PPS não é afinado com nenhum dos dois grupos e poderá ser afinado com qualquer um”, frisou. O deputado frisou porém que a nível estadual é oposição ao governo estadual.

Dividido

Depois de toda pendenga pelo comando do partido na capital o que culminou na desfiliação do vereador Aurismar Cavalcante (atualmente filiado ao PSDB) o PP segue com o nome do empresário Carlos Amastha que nas últimas semanas está fora do país. Amastha no entanto teve conversas com o prefeito Raul Filho e inclusive com o candidato do partido do governador, Eduardo Gomes.

Amastha foi o idealizador do grupo intitulado “Palmas de Coração” com objetivo de discutir propostas e projetos para a capital só que aliados querem uma definição do empresário sobre a posição do grupo com relação ao governo do Estado. O PTN inclusive deixou o grupo.

DEM e PSD

Dois partidos que cogitam nomes mas até agora não definiu de fato quem são os pré-candidatos: DEM e PSD. O novo partido inclusive chega a cogitar até o nome da senadora Kátia Abreu como uma das pré-candidatas. Já o DEM tem os nomes do casal Fernando Rezende e da deputada federal Dorinha Seabra. Ambos partidos na base do governador Siqueira Campos.

PSB

No PSB a disputa interna entre o deputado estadual Wanderlei Barbosa e o reitor da UFT, Alan Barbiero segue de maneira natural. Segundo Barbosa frisou em entrevista ao Conexão Tocantins não está ocorrendo disputa entre os dois. “Não temos disputa interna tanto eu como o Alan estamos trabalhando para formar um grande grupo e buscar outros partidos para a base do prefeito Raul Filho”, salientou.

Com relação a suas movimentações como pré-candidato, o deputado disse que está articulando de maneira natural. “Estou cumprindo meu mandato, visitando as comunidades, participando dos eventos sociais”, disse.

Em andamento

O presidente da Câmara, Ivory de Lira que agora comanda também o PT na capital frisou que o partido vai começar a definir um nome com condições de construir uma candidatura. O presidente não confirma mas segundo fontes ligadas a seu grupo no partido a intenção é que ele seja lançado como pré-candidato do partido com apoio do prefeito.Na legenda até o nome do deputado estadual José Roberto Forzani já foi defendido por alguns petistas.