Geral

Foto: Divulgação

Com o objetivo de verificar possíveis interferências na rede coletora de esgoto da Capital e do interior, inclusive possíveis ocorrências de interligação de água das chuvas ao sistema coletor, a Saneatins – Companhia de Saneamento do Tocantins realiza com frequência vistorias em todo o sistema de coleta de esgoto da Capital e do interior. A iniciativa inclui também orientações quanto ao uso correto deste sistema, como não lançar lixo na rede coletora, visando evitar possíveis obstruções e extravasamentos.

Durante as vistorias, técnicos da Saneatins utilizam o aparelho termo-nebulizador que identifica possíveis ligações irregulares de águas da chuva oriundas das residências para a rede coletora. Havendo a confirmação, o morador é notificado e tem um prazo de 30 dias para providenciar a regularização. Na capital, após este prazo, os casos não resolvidos são encaminhados para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Públicos, que pode multar o consumidor que descumprir a norma.

De acordo com a engenheira Rosilene Fátima, técnica operacional da Saneatins em Palmas, o lançamento de água da chuva na rede coletora de esgoto, que não é preparada para receber este fluxo intenso, causa o aumento significativo na vazão, o que pode ocasionar o retorno do esgoto para dentro do imóvel e até mesmo causar extravasamentos nas ruas e avenidas, além de interferir negativamente na eficiência do sistema de tratamento. “Outro problema que identificamos é a destinação de lixo na rede coletora, o que pode causar também obstruções egrandes transtornos”, ressaltou.

Por: Redação

Tags: Rosilene Fátima, Saneamento, Saneatins