Campo

Foto: Joatan Silva

O secretário executivo da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Ruiter Pádua, e o secretário do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável, Divaldo Rezende, se reuniram com técnicos das suas secretarias para discutirem o projeto de implantação de sete pólos de produção sustentável no Tocantins. A reunião aconteceu na manhã desta segunda-feira, 14 de novembro, na sala de reuniões da Semad.

A superintendente do Meio Ambiente e Floresta da Semad, Marli Teresinha dos Santos, apresentou o projeto, que dentre os objetivos está à garantia de produção de alimentos de qualidade respeitando o meio ambiente. “A proposta é pensar em uma produção com melhor qualidade nutricional, um alimento mais saudável para o consumidor e não somente em números de produção”, defendeu a superintendente.

O projeto propõe a instalação dos pólos de produção sustentável, conforme a vocação de cada região. Para tal, as nove regiões administrativas do Estado devem ser mapeadas a fim de identificar as potencialidade de cada região e obter informações sobre a produção, o tipo de solo. Para cada pólo serão escolhidas pelo menos três culturas.

De acordo com a superintendente, a finalidade é além de organizar a produção no Estado, adquirir ao final da implantação do projeto o Certificado de Produção para que o produtor comercialize sua produção no mercado interno e internacional. Ela também defendeu a unificação do discurso entre as pastas do Governo, como Seagro, Semad, Ruraltins e Naturatins. “É importante a parceria interna, entre os órgãos do Governo, e a uniformização das ideias para melhorar o processo de investimentos dos produtores”, considerou.

Para o secretário executivo, Ruiter Pádua, a ideia do projeto é excelente, assim como também a proposta de parceria, mas é fundamental que o produtor queira aderir ao projeto. “O produtor está deixando de tomar algumas medidas em função do Código Florestal, por mais que o projeto já esteja adequado ao Código. Mas a Secretaria já está trabalhando a questão das boas praticas rurais, o programa ABC e a regularização fundiária. Também estamos estudando junto à Secretaria de Ciência e Tecnologia meios para transformar a Unitins Agro em um instituto de pesquisa”, informou.

O secretário executivo também falou sobre a importância de melhorar a divulgação da LAU - Licenciamento Ambiental Unificado - uma vez que alguns produtores estão com projetos inviabilizados. Ele disse que os técnicos da Seagro estão à disposição para trabalhar em conjunto pela viabilização do projeto.

O secretário Divaldo Rezende, disse que com esse o projeto o Tocantins sairá na frente de estados como a Bahia e o Piauí. “Pela primeira vez temos a possibilidade de convergências. De trabalharmos juntos, meio ambiente e produção, haja vista que essas áreas sempre estiveram separadas”, afirmou o secretário. (Ascom Seagro)