Meio Ambiente

Foto: Divulgação Nas operações, também foram realizadas abordagens aos passageiros de embarcações e pescadores Nas operações, também foram realizadas abordagens aos passageiros de embarcações e pescadores

As equipes de Fiscalização das Unidades Regionais do Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins em Palmas, Araguacema, Tocantinópolis e Paraíso do Tocantins realizaram operações com intuito de coibir crimes ambientais, entre eles a pesca predatória no período da Piracema, que teve início no dia 1º deste mês e segue até 29 de fevereiro de 2012. Durante as operações, as equipes recolheram 4.552 metros de redes malhadeiras, materiais predatórios, aplicaram R$ 6.400,00 reais em multas e realizaram orientações nas mediações dos principais rios do Estado.

A equipe da Unidade Regional de Palmas, além da capital, realizou uma operação neste final de semana e feriado, entre os dias 12 e 15 novembro, nos municípios no entorno do lago da UHE Lajeado – Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães, percorrendo os municípios de Brejinho de Nazaré, Ipueiras, Lajeado, Miracema, Pedro Afonso, Porto Nacional e Tocantínia. A equipe percorreu ainda os rios Providência e Santa Luzia, em Miracema; Crixás, em Brejinho de Nazaré; Surubim e São Valério, em Ipueiras; e no rio Tocantins entre os municípios de Pedro Afonso a Lajeado e de Ipueiras ao município de Peixe.

Na ação a equipe aprendeu e recolheu 920 metros de redes malhadeiras e 20 quilos de pescado além de 59 chumbada, um caniço, 22 iscas artificiais, uma balança, um alicate, uma carretilha, um encastor, uma caixa de pesca, uma tarrafa, um facão, uma faca, três molinetes, quatro boias, cinco varas, 52 anzóis. Na operação foram realizados dois autos de infração totalizando R$ 1.400,00 reais em multas.

Ao final da operação, a equipe responsável, que contou com o apoio da Cipama – Companhia Independente de Polícia Militar Ambiental do Estado, doou o pescado apreendido à comunidade carente de Lajeado.

Na Unidade de Araguacema a fiscalização ocorreu neste final de semana e feriado, entre 11 e 15, percorrendo alguns trechos do rio Araguaia e seus afluentes, entre eles os rios Caiapó, Bananal e Piranhas. A ação começou no município de Caseara e seguiu até Couto Magalhães, onde foram recolhidas 2.160 metros de redes malhadeiras, três tarrafas, 25 fisgas para tartaruga e quatro pindas.Além do material apreendido a equipe ainda multou um infrator no valor de R$ 5 mil reais por utilizar recursos hídricos, sem outorga de direito e uso da água, que é expedida pelo órgão ambiental. Durante toda a operação em Caseara a equipe contou com o apoio da Cipama.

No norte do Estado, a regional de Tocantinópolis percorreu os municípios de Aguiarnópolis, Maurilândia e Itaguatins. A ação ocorreu entre os dias 05 e 06, onde foram fiscalizados trechos do rio Tocantins e alguns córregos que desaguam no rio. Durante a operação foram recolhidos 1.372 metros de redes malhadeiras, 180 metros de espinhel com 102 anzóis, uma tarrafa, 18 pindas, três facões, uma espingarda tipo bate bucha (estrovenga), seis caniços de fibra de vidro com molinete e cinco caniços de fibra de vidro com carretilha. Na ação não houve multas, pois os infratores evadiram do local.

Em Paraíso, neste final de semana, a equipe recolheu 100 metros de redes malhadeiras no rios do Coco, próximo ao município de Marianópolis; no Riozinho, em Pium; e Piedade, em Divinópolis.

Nas operações, também foram realizadas abordagens aos passageiros de embarcações, além de pescadores ribeirinhos, com orientações sobre as proibições e restrições de pesca durante a Piracema. De acordo com os fiscais, os materiais apreendidos serão incinerados no final da Piracema no aterro sanitário, em Palmas.

Piracema

O período da piracema foi instituído pelo Naturatins, de acordo com a Portaria n° 409 de 27 de outubro de 2011, onde fica estabelecido o prazo em que os peixes de várias espécies sobem até as cabeceiras dos rios para realizar desova e reprodução. (Secom)