Polí­tica

Foto: Divulgação

Um ponto espinhoso que sempre surge quando o assunto é a postura do Partido dos Trabalhadores em âmbito estadual, surgiu também durante a entrevista coletiva concedida pelo presidente nacional da legenda, Rui Falcão, na tarde desta terça-feira, 22: a polêmica relação entre PT e o governo Siqueira Campos (PSDB). Desde 2010 o partido vem sofrendo forte desgaste por conta de posicionamentos eleitorais, o que levou dois de seus três deputados estaduais e seguirem indicação do partido e apoiarem a candidatura do tucano Raimundo Moreira (PSDB) à presidência da Assembleia Legislativa.

Sobre esse relacionamento PT / PSDB no Tocantins, Rui Falcão destacou o poder de diversidade do seu partido em situações adversas. De acordo com ele, o PT “consegue construir unidade dentro dessa adversidade. O maior exemplo que vocês podem ter é que estão lado a lado o presidente do PT e o prefeito de Palmas”, disse se referindo à composição da mesa na coletiva.

No entanto, quando questionado sobre a postura dos deputados Amália Santana e José Roberto, que sistematicamente vem acompanhando a base governista na Assembleia, o presidente nacional cobrou da direção estadual. “Isso é coisa da política local. Cabe ao diretório estadual dialogar com os companheiros”, completou.

Já Donizeti voltou a destacar a postura independente do PT no parlamento estadual. Conforme ele mesmo explicou, matérias importantes, como a questão dos defensores públicos e procuradores de Estado, de autoria do governador Siqueira Campos, foram retiradas da pauta com o apoio dos deputados petistas. “É preciso fazer a leitura de maneira mais horizontal ou dinâmica. Apenas três ou quatro matérias houve divergência”, explicou.

Na tentativa de colocar um ponto final na questão, o presidente nacional do PT foi enfático ao afirmar que as divergências internas do partido estão superadas. “O PT tem a característica que nos momentos de embate, nós temos uma força unida. As nossas militâncias vão para as ruas, nosso candidatos vão para as campanhas”, completou.

Reunião

Após a entrevista, o diretório estadual do PT se reuniu a portas fechadas para tratar, segundo Rui Falcão, de assuntos de interesse partidário, além de expor a situação do PT em outros Estados e ouvis dos membros da direção propostas e sugestões para a campanha eleitoral do ano que vem.