Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira, 7, o deputado Sargento Aragão (PPS) informou que o governo está fazendo terrorismo ao divulgar informações do serviço de inteligência sobre supostas invasões a terrenos destinados a áreas verdes em Palmas. Na ocasião, o deputado ainda frisou que defende a ocupação de terrenos do governo irregularmente destinados a grandes empresários, políticos e secretários de Estado.

As informações de Aragão partiram depois que a Secretaria Estadual da Habitação (Sehab) divulgou informações de seu serviço de inteligência de que haveria um movimento em Palmas para invadir grandes áreas vazias no centro da cidade. Informações de bastidores ao Conexão Tocantins ainda davam conta de que o deputado estaria por detrás do movimento de invasões. Contudo, o deputado negou que seja o cabeça do movimento. “Eu não participei de nenhuma reunião sobre ocupação ou invasão de terras em 2011”, disse.

O deputado ainda destacou que é contra este tipo de invasão e que o governo está procurando um bode espiatório para jogar a culpa. “Quando ele não trabalha, por incompetência, ou por falta de vontade, fica tentando encontrar alguém para jogar a culpa”, completou.

Defesa de ocupações

Mesmo sendo contrário ao tipo de invasão que foi levantada pelo governo do Estado, o deputado destacou que defende que grandes terras adquiridas por grandes empresários, latifundiários e políticos ligados a Siqueira Campos sejam loteadas e destinadas a habitações populares. “São terras adquiridas pela senhora Fátima Roriz, por deputados, secretários. Eu não incito invasões. Eu insisto que a justiça faça justiça”, provocou. De acordo com Aragão, a diretora geral da Organização Jaime Câmara no Tocantins teria adquirido cerca de dez alqueires de terra na zona norte da cidade. “De quem ela comprou isso? É uma pergunta que deve ser feita”, salientou.