Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO), Primeiro Secretário da Câmara dos Deputados, foi motivo de nota na Revista Época. No sábado, 10, a nota, intitulada “A Câmara não é a CIA”, aborda a atitude do deputado tocantinense ao não autorizar a instalação de equipamento para detectar grampos telefônicos na Casa.

Há um ano, a Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados insiste na compra de um aparelho de varredura de grampos telefônicos avaliado em R$ 160 mil. O primeiro secretário da casa negou o pedido. “Se um deputado for grampeado, chamamos a Polícia Federal. Não somos a CIA nem a KGB. Ter um aparato desse pode dar margem a descontroles”, diz Eduardo.

A nota da revista encerra afirmando que, apesar de parecer obvio o raciocínio do deputado, o Senado tem um equipamento voltado a esta detecção.