Estado

Foto: Maradona

A Associação dos Defensores Públicos do Estado do Tocantins (ADPETO) declarou, por meio de nota pública, apoio ao presidente da OAB seccional Tocantins, Ercílio Bezerra, pelas declarações sobre indícios de corrupção no Poder Judiciário.

Na nota a Adpeto afirma que não é para se ter como absurdas a declarações do presidente da Ordem, uma vez que dos 12 desembargadores 4 se encontram afastados por indícios de corrupção e mais 3 são acusados de nepotismo.

O presidente da Adpeto encerra a nota afirmando que espera que o Fórum de Combate a Corrupção, recém criado no Tocantins apure com “isenção e agilidade todas as denúncias que comprometem a convivência republicana”. Confira abaixo a nota na íntegra.

Título: Nota Pública

A ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DO TOCANTINS-ADPETO, vem a público declarar apoio ao Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-Seccional Tocantins (Dr. Ercílio Bezerra) pelas declarações corajosas e veementes com que buscou demonstrar e combater os indícios de corrupção no Poder Judiciário.

A polêmica gira em torno de uma “generalização” que haveria sido cometida pelo eminente Presidente da OAB-TO, no entanto, entendemos tratar-se de uma demonstração de repúdio a todos os fortes indícios que assolam especialmente a cúpula do Judiciário Tocantinense, o que infelizmente causa indignação em toda a sociedade.

Não é para se terem como absurdas as declarações do Presidente da OAB-TO, posto que dos doze desembargadores quatro, ou seja, 33,33% da corte tocantinense encontram-se afastados por indícios de corrupção e outros três (25%) estão sendo acusados de nepotismo.

Aguardamos uma resposta imediata do próprio Judiciário Tocantinense, evitando-se maior desgaste da justiça local, do contrário, seria temerário ao processo democrático tocantinense.

Infelizmente criaram-se neste estado relações espúrias que devem ser combatidas, seja em qualquer poder ou instituição, visto que a sociedade não mais suporta e admite tais práticas.

Externamos aqui nosso respeito e admiração por grande parte da magistratura tocantinense, mas devemos tomar as declarações do Presidente da OAB-TO como apontadas àqueles que não comungam dos princípios republicanos.

Esperamos que o recente criado no Tocantins Fórum de Combate a Corrupção, do qual o Poder Judiciário faz parte, apure com isenção e agilidade todas as denúncias que comprometem a convivência republicana.

Murilo da Costa Machado
Presidente-ADPETO