Palmas

Diversas avenidas e os três acessos à capital, Palmas, pelas Rodovias Estaduais passarão a ser monitorados 24 horas por dia a partir de 2012. O projeto que prevê o videomonitoramento é da Prefeitura de Palmas, por meio da Secretaria Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes e deverá realizar em janeiro, as licitações para aquisição dos equipamentos e serviços. Chamado de Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), o sistema já é uma realidade em centenas de cidades do Brasil e em Palmas será um reforço para o setor da segurança pública.

O GGIM foi criado em Palmas por um Decreto Municipal em 2010, entretanto, ajustes na concepção do projeto vão permitir que as solicitações feitas pelo Programa Nacional de Segurança Pública e Cidadania - Pronasci, sejam contempladas por uma Lei Municipal. “A proposta é que o GGIM seja o gestor das ações do Pronasci em Palmas e uma dessas ações é o videomonitoramento com 20 câmeras distribuídas por diversos pontos da Capital”, assegurou o Guarda Metropolitano, Magnus Aparecido Matos Pereira, responsável pelo projeto.

Na definição das localidades onde serão instalados equipamentos a Secretaria Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes levou em conta o grande fluxo e movimentação de pessoas,grande número de estabelecimentos comerciais e elevado índice de criminalidade. A observação do que acontece nos pontos escolhidos será feita com câmeras alcançando ângulos de 360 graus e alta capacidade de aproximação de imagem.

Entre os locais já estabelecidos para o videomonitoramento estão a entrada da Praia das Arnos, Avenida Palmas Brasil, Avenida JK (nas proximidades do Banco do Brasil), Praça do Bosque (próximo ao Paço Municipal), Avenida Tocantins (Taquaralto), Avenida I (Jardim Aureny III), e as três entradas e saídas de Palmas, pelas TO-010, 080 e 050, entre outros. “Através desse observatório poderemos ir ao local para identificar a demanda e o porque dela estar existindo”, comentou Matos.

O GGIM estará localizado junto à SSTT e contará diversos computadores, mobília e outras tecnologias de ponta para o sucesso do videomonitoramento na Capital. “Teremos o que há de melhor nesse segmento no País”, garante o Guarda Metropolitano. A captação das imagens será feita via wireless, que vai permitir o deslocamento das câmeras com maior facilidade quando houver a necessidade de monitorar outras localidades.

Gabinete de Gestão Integrada

Com a aprovação da Lei relacionada ao projeto do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, o prefeito ocupará um dos mais importantes cargos, o de presidente do Pleno, uma estrutura de colegiado onde as decisões em torno da segurança pública municipal serão tomadas.

Na estrutura administrativa, o GGIM contará com a utilização de servidores da própria Secretaria Municipal e, se for necessário, técnicos de outras pastas também poderão ser convocados para totalizar aproximadamente 25 pessoas para um expediente de 24 horas por dia.

O organograma do Projeto constará ainda, funções como: Secretaria Executiva, Núcleo de Videomonitoramento, Diretoria Executiva, Coordenações e Diretoria de Observação de Segurança Pública com respectivas Coordenações.

A implantação do projeto custará R$ 820.432,00, oriundos do Ministério da Justiça. A Prefeitura de Palmas entra com contra partida de R$ 10 mil. “O GGIM é uma tendência brasileira que consideramos ser muito boa. Hoje o GGIM não é só video. Esta é apenas uma etapa. A ação não é exclusivamente preventiva, mas para também para o combate e o acompanhamento dos problemas”, concluiu Magnus Matos. (Ascop)