Economia

Foto: Divulgação

Cerca de R$ 43 milhões foram aplicados pelo Banco da Amazônia, por meio do FNO-Biodiversidade, em projetos de reflorestamento e manutenção da Floresta Amazônica. Esta fonte de recursos é uma das linhas do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), que é voltada para a implantação, ampliação, modernização, reforma e relocalização de empreendimentos que privilegiem o uso de recursos naturais, utilizando boas práticas de manejo.

De acordo com o diretor comercial e de Distribuição do Banco, Gilvandro Negrão, esse montante foi aplicado no período de janeiro até a metade de dezembro deste ano. “O programa tem como meta conceder financiamentos a empreendimentos que privilegiem a adoção de boas práticas de manejo e para a regularização e recuperação de áreas de reserva legal degradadas/alteradas das propriedades rurais”, explica.

O diretor esclarece ainda que o produto tem taxa de 4% a.a. para a recuperação de reserva legal e contribui para o estoque de carbono do país, em virtude do seu auxílio ao reflorestamento. O FNO-Biodiversidade induz os produtores/empresas a considerar o meio ambiente como negócio, incentivando a utilização de áreas degradadas/alteradas como atividades florestais sustentáveis, compatíveis com as definições nacionais e regionais de uso do solo e áreas de proteção. “Dessa maneira, pretende-se gerar emprego e renda e contribuir para o desenvolvimento de um ambiente de negócios para o setor florestal, tornando-o competitivo com outras atividades tradicionais”, explica o diretor.

A linha FNO-Biodiversidade beneficia produtores rurais; populações tradicionais da Amazônia não contemplados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF); e pessoas jurídicas que tenham a sede da administração no país e sejam organizadas em conformidade com a lei brasileira.

Atividades ou planos que poderão ser financiados têm como proposta o manejo florestal sustentável, reflorestamento, serviços ambientais, serviços agroflorestais (SAF) e sistemas silvipastoris (SSP).

O interessado em receber mais informações e obter o financiamento para manutenção e recuperação da biodiversidade amazônica pode procurar qualquer uma das agências do Banco da Amazônia ou acessar o site http://www.bancoamazonia.com.br.