Saúde

Nessa última semana de dezembro, o Ministério da Saúde - MS repassa, por meio do Fundo Nacional de Saúde, R$ 12,2 milhões para que todos os 26 estados, o Distrito Federal e as respectivas capitais possam ampliar e desenvolver ações previstas no Projeto Vida no Trânsito. A medida visa modificar a cultura de segurança no trânsito de forma a reduzir o número de mortos e feridos graves a partir da conscientização e mobilização da sociedade.

Para o Tocantins, o valor total do repasse é de R$ 425 mil reais, sendo 250 mil para o Estado e R$ 175 mil para a capital Palmas. Estabelecidos na Portaria 3.023, os recursos do Programa de Implementação de Política de Promoção da Saúde serão transferidos.

Conforme o MS, as secretarias estaduais e municipais de saúde deverão implantar o Projeto Vida no Trânsito por meio de articulação com outros setores governamentais e não-governamentais. Eles também deverão qualificar e integrar as informações sobre acidentes de trânsito e vítimas (como feridos graves e mortes). Os gestores de saúde deverão, ainda, identificar os fatores de risco e grupos de vítimas mais importantes nos respectivos municípios, desenvolvendo programas e projetos de intervenção que reduzam esses fatores e os pontos críticos de ocorrência de acidentes.

No entanto, Palmas, foi uma das capitais da Região Norte escolhida como pioneira para implantar Ações integradas do Projeto Vida no Trânsito, que tem como objetivo a prevenção de acidentes graves e mortes causadas por acidentes de trânsito, promoção da cultura da paz e segurança viária.

A intenção do projeto é diminuir em pelo menos 10% o número de casos com sequelas e óbitos por acidente na capital, e com isso tirar Palmas do ranking nacional de acidentes, motivo que levou a cidade a ser escolhida como pioneira pelo MS, além das altas taxas de internação hospitalar por acidentes graves, e pelo excesso de velocidade.

Mais informações: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/noticia/3821/162/projeto-vida-no-transito-%3Cbr%3Erecebe-mais-r$-12-milhoes.html

(Com informações do Ministério da Saúde)