Meio Ambiente

Foto: Divulgação

O Naturatins - Instituto Natureza do Tocantins, continua os trabalhos para coibir os crimes ambientais em todo Estado. Entre os dias 17 a 29, as equipes de Fiscalização das Unidades Regionais de Palmas, Colinas do Tocantins, Arapoema e Tocantinópolis, e ainda os técnicos Coordenadoria de Controle Produtos Florestais do órgão, realizaram operações com intuito de coibir o pesca predatória no período da piracema e coibir o uso ilegal de madeiras, respectivamente.

As operações resultaram nas apreensões de cerca 4.507 metros de redes malhadeiras, além de apetrechos de pesca, e 878,63 estéreos (unidade) de madeiras que resultaram em R$ 436.074,86 em multas aplicadas.

Para os trabalhos, a unidade Regional de Palmas se dividiu em duas equipes e realizou a operação intitulada “Balsa Maneira”, percorrendo o Lago da UHE Lajeado no trecho de Lajedo a Porto Nacional. A ação resultou no recolhimento e apreensão de 2.485 metros de redes, além de outros materiais predatórios e seis quilos de pescado, que foram doados á comunidades carentes da Capital.

Em outro trecho, a segunda equipe da Unidade de Palmas realizava a ação nos rios Tocantins, Balsa, Ponte Alta, Sono e Perdido. Esta ação resultou no recolhimento e apreensão de 560 metros de redes malhadeiras, além de 12 linhadas, e ainda a emissão de dois autos de infração totalizando em R$ 1.520,00, em multas.

No Norte do Estado, a equipe da Unidade Regional de Colinas realizou seu trabalho em parceria com a Unidade do órgão de Arapoema e com o Cipama – Companhia Independente da Polícia Militar Ambiental. Os trabalhos aconteceram em alguns trechos dos rios Araguaia, Cunhãs, Jenipapo e Jardins, e seus afluentes, percorrendo os municípios de Pau D’arco e Bernardo Sayão. A ação resultou no recolhimento de 240 metros de redes malhadeiras.

A regional de Tocantinópolis realizou sua ação percorrendo as mediações do Rio Tocantins, no município da Unidade, Maurilândia, Itaguatins e Bela Vista. Os resultados foram o recolhimento de 1.222 metros de redes, quatro tarrafas, três pindas, um molinete, um facão e duas espingardas tipo “bate-bucha”.

Além da fiscalização, durante as ações as equipes de fiscalização das Unidades Regionais do órgão encontram barqueiros e ribeirinhos que foram orientados sobre a importância do período defeso dos peixes.

Operação “Lenhador”

Ainda no período, os técnicos da Coordenadoria de Controle de Produtos Florestais do Naturatins, em parceira com o IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, realizaram a “Operação Lenhador”. A ação teve como objetivo fiscalizar os empreendimentos para conferir se o estoque de madeiras informado no sistema DOF – Documento de Origem Florestal estavam compatíveis com que estava no pátio dos empreendimentos.

As equipes percorreram os municípios de Guaraí, Miracema, Miranorte, Paraíso do Tocantins, Barrolândia, Colinas, Colméia, Divinópolis do Tocantins e Monte Santo, onde apreenderam 878,63 stére (unidade) de madeiras. Além da apreensão, os responsáveis pela madeira foram multados em R$ 434.554,86. (Ascom Naturatins)