Educação

Foto: Divulgação

Nesta última quarta-feira, 1º de fevereiro, aconteceu na Reserva Xerente a inauguração da Escola Estadual Indígena Kbarê-Wdêhu, na Aldeia São Bento, no município de Tocantínia. Além desta, outras seis novas escolas foram entregues pelo Governo do Estado nas aldeias Buritizal, Santa Cruz, Paraíso, Baixa Funda, Rio Preto e Santo Antônio, sendo que uma oitava unidade, localizada na Aldeia São José, está em fase de conclusão e deve ser entregue nos próximos dias.

“Nestas escolas os estudantes vão receber um ensino de qualidade, para se preparar para um mundo competitivo, com um mercado de trabalho concorrido, mas com certeza, em pé de igualdade com os demais estudantes”, comemorou o prefeito de Tocantínia, presidente da Associação Tocantinense de Municípios, Manoel Silvino.

Com estas oito novas escolas, a Reserva Xerente terá um total de 42 unidades que atendem cerca de 900 estudantes. A proposta é que neste ano também sejam abertas turmas do Ensino de Jovens e Adultos – EJA, para alfabetização dos indígenas adultos. “É muito importante alfabetizar toda a população e, justamente, por entender essa carência de instrução entre os mais velhos é que vamos instalar essas turmas. É extremamente gratificante trabalhar com os povos indígenas.

A gente fica feliz com tantas obras que o Governo está fazendo para melhorar a qualidade do ensino, melhorando não só a estrutura das escolas, como também as estradas para dar condições de acesso. A gente considera esse momento uma grande conquista para todos nós. É um motivo de orgulho, a gente fica muito feliz de ver a alegria desse povo em receber o que lhe é de direito, com muita qualidade. Dentro de pouco tempo teremos, com certeza, avanços muito significativos no processo de ensino nas aldeias”, explicou o diretor de Educação indígena e Diversidade da Seduc, Maximiano Bezerra.

A Escola Estadual Indígena Kbarê-Wdêhu, que significa “muitos pequis”, em alusão ao bosque de pequizeiros onde a escola foi construída, tem 23 alunos matriculados nas séries iniciais, do 1º ao 5º ano. O professor responsável pela turma é indígena, formado pelo curso de Magistério, promovido pela Seduc. “A estrutura é bem feita e a gente tem muito orgulho de dar aula aqui. Antes a escola era de palha, agora está muito bonita e bem feita. É um patrimônio que eu tenho muito orgulho, que vamos preservar, que é muito importante para essa comunidade”, contou o professor Anderson Simrihu Xerente.

A professora e missionária, Margarida Lemos, que assumiu a diretoria do Colégio Estadual Batista, também em Tocantínia, participou do evento e lembrou do trabalho de alfabetização desse povo que começou realizado por missionários, há décadas. Falou também da felicidade de ver os Xerentes conquistando melhorias, citou ainda exemplos de sua vivência como professora, em que em vez de reclamar do aluno e das dificuldades de alfabetizar os índios, os tratou com amor.

Solenidade

A solenidade de abertura foi iniciada pelas boas vindas do cacique da Aldeia São Bento, Carlito Xerente. Foram realizadas ainda, pelas crianças e jovens Xerentes, algumas apresentações culturais. Com dança e canto eles representaram tradições importantes para o povo, representando a união e a importância de que os mais jovens mantenham a vontade de aprender, valorizando a cultura, a força e a tradição.

A aula inaugural foi feita na língua indígena. Foram entregues ainda kits para o professor e uniformes e materiais escolares para os alunos. Ana Lúcia Sekwahiti Xerente, que faz o 5º ano, comemorou. “O uniforme é muito bonito, eu gostei muito. Gostei do material. Estou fazendo o quinto ano e quando terminar eu quero continuar estudando pra ser professora também”.

As autoridades presentes, junto com a comunidade, também conheceram a estrutura da escola, que dispões de sala de aula, administração, copa e banheiros. “É um momento ilustre, uma grande satisfação entregar essa obra. Um espaço de conhecimento, de educação e aprendizado para essa comunidade indígena. Temos pela frente um ano promissor a grande missão de cuidar e de educar”, afirmou a subsecretária de Educação Básica, Marciane Machado.

O secretário executivo de educação, Ricardo Marinho, que representou o governador Siqueira Campos na solenidade, também falou sobre a alegria de participar da entrega dessa escola. “A palavra alegria é a mais propícia neste momento em que descerramos a faixa dessa escola tão bem organizada, apta a oferecer para as crianças uma educação de qualidade. Tínhamos uma estrutura física deficiente e hoje temos boa estrutura e podemos afirmar que cumprimos o compromisso com essa comunidade. Peço agora, apenas o apoio dos pais com a educação dos filhos, para que não haja evasão escolar e assim possamos ter, de fato, uma escola de qualidade”.

Participaram ainda da solenidade vereadores de Tocantínia, secretários municipais, além de representantes da Funai, Funasa, Polícia Militar e servidores da Diretoria Regional de Ensino de Miracema, que foram responsáveis pela organização do evento que encerrou com almoço e atividades esportivas. “Nós estivemos empenhados e o resultado foi bastante positivo. Agora eles podem contar um ambiente agradável, com uma obra de qualidade”, contou a diretora regional de ensino de Miracema do Tocantins, Maria Marlene Rocha. (Ascom/Seduc)