Estado

Foto: Wilson Rofrigues

Os resultados do Prodecer III - Programa de Desenvolvimento dos Cerrados serão apresentados em um livro, intitulado “Project History”. A informação foi repassada na tarde desta quarta-feira, 8, por membros de uma missão da Jica - Agência de Cooperação Internacional do Japão, durante audiência com o governador Siqueira Campos. O resultado final dos estudos sobre o Prodecer deve ser apresentado para um público estimado de 50 mil pessoas no dia 20 de junho, durante o Rio + 20 - Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável.

Segundo Akio Hosono, especialista sênior da Jica e autor do livro, a intenção da publicação, que será em língua japonesa, é mostrar o sucesso da cooperação técnica binacional entre o Brasil, por meio do Tocantins, e o Japão.

Um dos principais objetivos do grupo, durante a visita, foi a realização de uma entrevista com o governador. “Nós precisamos saber do gestor quais os reflexos que o Prodecer ocasionou no Tocantins”, explicou Yutaka Hongo, um dos engenheiros responsáveis pela implementação do projeto no Estado.

Siqueira Campos explicou que o Prodecer foi o ponto de partida no processo de desenvolvimento do Tocantins. “Esse projeto abriu as portas para muitas coisas. A principal foi a possibilidade de transformar terras ociosas em ambientes com grande capacidade produtiva. O Prodecer em Pedro Afonso foi bom não apenas para aquela cidade, mas para toda a região, isso porque nós atraímos investidores interessados em produzir em nossas terras, e agora já atraímos indústrias interessadas em beneficiar a produção”, disse o governador, ressaltando também que foi por meio do projeto que o Tocantins conseguiu viabilizar seu programa de eletrificação rural.

Siqueira Campos também disse que além de todo o crescimento econômico, a região teve um salto nos índices de desenvolvimento humano. “Nós percebemos que o Prodecer fez com que elevássemos nosso potencial gerador de emprego e renda, além de termos conseguido aprimorar a nossa cadeia produtiva”.

A missão japonesa pretende visitar, nesta quinta-feira, a cidade de Pedro Afonso com o objetivo de conhecer, in loco, o projeto produtivo. O grupo é formado por cinco integrantes, três deles japoneses e dois brasileiros. Na visita ao Palácio Araguaia, eles estavam acompanhados do secretário executivo da Secretária da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Ruiter Pádua; do subsecretário da Produção de Energias Limpas, Ailton Parente; e da subsecretária de Aquicultura e Pesca, Miyuki Hyashida.

Prodecer

O Prodecer é o mais antigo programa de governamental agrícola do país. Foi criado na década de 1970. A etapa III foi implantada no Tocantins no ano de 1996, na cidade de Pedro Afonso. A introdução do programa no Estado contou com o apoio da Jica e fez parte de um acordo bilateral entre o Brasil e o Japão.

Com a implantação do Prodecer III, a produção de soja teve crescimento considerável. Segundo o secretário executivo Ruiter Pádua, em 1996, o Tocantins tinha apenas 400 hectares de área plantada. De 1999 a 2002 o crescimento foi de 98, 5%, uma evolução quase 200% maior que a média nacional, que foi de 35,89%. No ano passado, segundo dados da Seagro, o Estado produziu mais de 1 milhão de toneladas do grão e o Prodecer III foi o responsável por 56% desse montante.

O programa cobre, atualmente, uma área de 80 mil hectares entre os estados do Tocantins e Maranhão. Para o desenvolvimento do projeto foram investidos US$ 850 milhões, sendo que 60% desse valor foi destinado pelo governo do Japão, através da Jica. (Secom)

Por: Redação

Tags: Jica, Prodecer, Siqueira Campos