Estado

Foto: Divulgação Nadir Nunes não descarta a greve Nadir Nunes não descarta a greve

O Sindicato da Polícia Civil do Estado do Tocantins (Sinpol) fará nesta terça-feira, 14, uma Assembleia Geral para deliberar as principais demanda da classe. No centro da pauta está a insatisfação dos agentes penitenciários com o Ato 305 do governo estadual que redistribui os policiais para o Quadro Geral da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

Conforme informou o vice-presidente do Sinpol, Darlan Sousa Silva que também é agente penitenciário, os policiais aguardam uma resposta do governo há muito tempo. “O que queremos é que o governo volte atrás porque somos policiais civis e ele nos colocou no Quadro Geral”, explica.

A possibilidade de greve não é descartada, como admitiu o vice-presidente e também a presidente Nadir Nunes Dias ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 13.

Os agentes penitenciários, conforme o ato do governo, foram redistribuídos para a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. Atualmente 394 policiais civis atuam como agentes. O Sindicato e a categoria aguardam que o governo realize concurso para provimento de vagas necessárias.

O Sindicato explica ainda que no caso de uma possível greve outros cargos como agentes de polícia e papiloscopista poderão também aderir.

Também nesta semana os policiais militares farão Assembleia geral para também decidir se deflagram uma greve. O motivo são reivindicações que não estariam sendo atendidas pelo Comando Geral.

O governo está tentando contornar ainda a insatisfação de outros Sindicatos com relação ao pagamento das progressões.