Polí­tica

Foto: Divulgação

Em entrevista exclusiva ao Conexão Tocantins na manhã deste sexta-feira, 17, o prefeito de Palmas Raul Filho comentou sobre os principais pontos da articulação política de seu grupo para as eleições desse ano. O gestor continua afirmando que a definição do nome sairá em março. “Entendemos que o prazo para posição do nome de consenso deverá ser em março, eu tenho defendido essa ideia”, pontuou.

Raul deixou claro que não vai interferir na definição dos critérios para escolha do nome no grupo. “Eu não quis me envolver na questão das pesquisas, farei uma reunião com dirigentes estaduais dos partidos após o carnaval e não quero interferir nos critérios, eu preciso é dos resultados”, salientou.

Lelis

O prefeito voltou a afirmar que a disputa de outubro será entre o Paço e o Palácio Araguaia que deverá ter como candidato o deputado estadual Marcelo Lelis (PV). Raul diz acreditar que mesmo com a preferência de Lelis nas pesquisas mostradas até agora, seu grupo terá uma vitória folgada. “Vamos vencer folgadamente. Pesquisa é termômetro mas não é tudo. Eu compreendo que a posição do nosso principal adversário traz um desconforto mas quem sobe muito tende a cair. É difícil sustentar os patamares que ele chegou, isso é a ausência de um concorrente até agora. As pessoas precisam ter esse outro rosto”, explicou.

Comentando as movimentações do PDT que tem como pré-candidata sua vice-prefeita Edna Agnolin, Raul negou ter tido uma conversa reservada com o presidente nacional Carlos Lupi. “Ele como qualquer dirigente veio trazer apoio para a candidatura do partido dele”, disse, negando ter feito algum pré-acordo com o PDT.

O prefeito negou também ter feito acordo com o senador João Ribeiro, presidente do PR, para apoiar a candidatura da deputada estadual Luana Ribeiro. “Não existe acordo entre eu e o senador com relação às eleições de Palmas. O nosso acordo é que estaremos juntos nessas eleições aqui, no interior e nos projetos futuros”, frisou.

No grupo de Raul disputam ainda a preferência, Eli Borges (PMDB), Wanderlei Barbosa e Alan Barbiero do PSB.

Nome do PT

Com relação a uma possível indicação do PT para a cabeça de chapa na disputa o prefeito admitiu que pode não ter mais tempo para essa articulação. O nome do partido é do presidente da Câmara de Palmas, Ivory de Lira. “Considero Ivory um dos grandes líderes da política palmense, político hábil, com grande potencial de articulação, mas não sei se há tempo para emplacar esse nome”, reiterou.

Palanque com o PP

Outro partido com quem Raul tem conversado muito é com o PP que tem como pré-candidato o empresário Carlos Amastha. “Amastha tem nos procurado, temos conversado e procurado ele também. Ele é um cidadão que comunga com nossos ideais em alguns pontos e diverge em outros. Eu conto que possamos estar juntos. Vamos insistir para estar no mesmo palanque, não vejo isso improvável”, disse.