Polí­tica

Foto: Divulgação

O Partido dos Trabalhadores do Tocantins, em parceria com a Central Única dos Trabalhadores do estado, promoveu um encontro entre o empresário e ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, com sindicalistas e militantes do PT de vários municípios do Tocantins.

O evento aconteceu nesta terça-feira, 06, no auditório do Turim Hotel, em Palmas, contou com a presença de aproximadamente 150 pessoas e com a participação do presidente estadual do PT, Donizeti Nogueira, do presidente da CUT, José Roque, dos deputados estaduais Amália Santana, Zé Roberto e Solange Duailibe, do prefeito Rau lFilho, entre outras autoridades e dirigentes do partido.

“O PT do Tocantins resolveu promover esse encontro em parceria com a CUT e outros sindicatos para mobilizar a militância do PT e também sindicalistas para conhecer a defesa do companheiro Delúbio, por que queremos um julgamento justo e acreditamos na sua inocência”,destacou o presidente estadual do PT, Donizeti Nogueira.

O ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares, está percorrendo desde o ano passado todos os estados brasileiros para apresentar, debater e pedir apoio para sua defesa no processo que responde no Supremo Tribunal Federal. Em 2005, Delúbio foi acusado de participar de um esquema que ficou conhecido como mensalão.

De acordo com o advogado Sebastião Ferreira Leite – que não representa o empresário no processo, mas faz parte de um grupo de advogados que percorre o Brasil popularizando a defesa de Delúbio – a acusação ouviu mais de 400 testemunhas e não conseguiu provar nada contra o ex-tesoureiro. “Não há nenhuma prova nos autos contra o Delúbio. É preciso que ele tenha um julgamento justo, pautado no direito da presunção da inocência, direito ao contraditório, ampla defesa e devido processo legal”,afirmou o advogado, ao destacar ainda que o julgamento não deveria ocorrer no STF, mas sim em primeira instância.

Segundo Delúbio Soares,na denúncia inicial constavam crimes de peculato, ou seja apropriação do dinheiro público. No entanto, o STF reconheceu que não houve crime de peculato. “Não tinha dinheiro público, o dinheiro foi fruto de empréstimos bancários. Não se pode falar de dinheiro público, isso está provado que não ocorreu. E o dinheiro não foi usado para enriquecimento de ninguém, mas para pagar dívidas de campanha dos diretórios do PT e dos aliados.Não quero ser acusado pelo que não fiz, quero um julgamento justo, e se houve algum crime foi relacionado à prestação de contas e isso é crime eleitoral. O mensalão não existiu”, explicou.

Na oportunidade, Delúbio pediu apoio à militância. “Tenho viajado pelo Brasil conversando com a militância, com os dirigentes do PT e de outros partidos, com os sindicatos,com os presidentes da OAB, mostrando a minha defesa. Estou sendo acusado sem provas, nos autos não tem acusação que teve comprovação, por isso estou em busca de apoio e peço que leiam e divulguem minha defesa”.

Delúbio distribui uma revista intitulada “A defesa de Delúbio no STF”, que se constitui numa cópia da defesa apresentada por ele ao Supremo, além de um CD Interativo que reúne fotos, artigos e músicas.

Apoio

As autoridades presentes no evento destacaram apoio ao ex-tesoureiro do PT. “Sabemos que você foi e sempre será importante para o movimento sindical no Brasil. A CUT, o SINTET e outros sindicatos têm apreço pelo homem que você é e por tudo que você fez pelo movimento sindical, defendendo os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras”, enfatizou José Roque Santiago, presidente da CUT Tocantins.

“Nós acreditamos em você plenamente, em seus princípios. Conhecemos poucos homens fiéis, íntegros e honestos como você. Naquele momento sabíamos que o alvo era o Partido dos Trabalhadores”, afirmou o prefeito de Palmas, Raul Filho.

Os deputados José Roberto, Amália Santana e Solange Duailibe também ofereceram apoio. “Em nenhum momento deixamos de acreditar em você”, pontuou Zé Roberto.

Participações

O evento contou com a participação de vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, presidentes de Diretórios Municipais, coordenadores de Macrorregionais e militantes petistas dos municípios de Palmas, Pium, Colinas do Tocantins, Araguaina, Muricilândia,Porto Nacional, Dois Irmãos, Paraíso, Ponte Alta, Angico, Tocantinópolis, Abreulândia, Divinópolis, Pequizeiro, e também do representante da Eletrobras Eletronorte no Tocantins, José Pierre Armond, do diretor dos Correios, Paulo Werneck, do delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Agostinho de Oliveira Chaves, do superintendente da Pesca,Jozafá Maciel, da titular da Coordenação Municipal da Mulher e Direitos Humanos, Rosimar Mendes, do presidente da Associação de Bancos do Centro Oeste,Mário Jorge, e do assessor da CUT Nacional, Reinaldo cruz. (Ascom PT)