Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa - DHPP, vinculada à Deic da capital, cumpriu na manhã desta quinta-feira, 8, mandado de prisão temporária em desfavor de Balbino Batista Nunes, comerciante, 32 anos. O mesmo estava foragido desde 21 de Abril de 2011, quando cometeu o homicídio que vitimou o jovem Paulo Henrique Siqueira Batista,19 anos.

Segundo informações do delegado Bonfim Santana, responsável pelo cumprimento do mandado de prisão, inicialmente após ter cometido o homicídio, Balbino fugiu para o Pará e lá permaneceu por alguns meses sem que fosse descoberto. No entanto, há algum tempo, o acusado retornou ao Tocantins e, após intensas investigações feitas pelo delegado e sua equipe, foi apurado que o acusado estaria vivendo nos arredores de Palmas.

De posse dessas informações, os policiais civis da DHPP, conseguiram mapear um trajeto que Balbino percorria com certa frequência. E, na manhã de hoje, foi montada uma campana na rodovia que liga os distritos de Taquaruçu a Buritirana, onde o mesmo foi abordado e preso, enquanto conduzia uma motocicleta.

Após ser conduzido à delegacia, Balbino foi interrogado pela autoridade policial e confessou ser o autor do homicídio pelo qual é acusado, sendo então encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Palmas – CPPP, onde permanecerá à disposição do poder público.

Relembre o caso

Balbino e Paulo Henrique eram conhecidos e residiam no Setor Santa Fé em Palmas. O primeiro tinha um estabelecimento comercial tipo “quiosque” e o segundo frequentava o local com assiduidade. Na noite do dia 21 de Abril de 2011, Paulo Henrique e um amigo estavam no bar consumindo bebidas alcoólicas. Depois de algum tempo, houve um desentendimento entre a vítima e o proprietário do estabelecimento e Paulo e o amigo deixaram o local, mas foram seguidos por Balbino, que de posse de uma faca desferiu vários golpes em Paulo Henrique, vindo a assassiná-lo.

Na época, o crime chocou a população da Capital pela maneira cruel como foi perpetrado, já que o acusado desferiu uma facada tão forte que praticamente degolou a vítima. Outro fato que chamou a atenção foi o fato de que naquele dia era comemorado o feriado em homenagem a Tiradentes que havia sido morto da mesma forma; degolado.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Balbino Batista Nunes Siqueira responderá por homicídio qualificado por motivo fútil e poderá pegar uma pena de 12 a 30 anos de prisão. (Ascom SSP)