Esporte

Foto: Emerson Silva

Com o objetivo de combater vários problemas nas comunidades indígenas, decorrentes principalmente do consumo de drogas, como o álcool, o governo do Tocantins, por meio da Secretaria da Juventude e dos Esportes inicia na próxima segunda-feira, 12, o programa Esporte Indígena. A iniciativa vai capacitar monitores para desenvolverem atividades esportivas nas aldeias de todo o Estado, além de oferecer suporte técnico e pedagógico.

Segundo o secretário da Juventude e dos Esportes Olyntho Neto, o projeto surgiu a partir de reuniões com a União dos Estudantes Indígenas. “A partir destas reuniões elaboramos um plano que visa principalmente à ocupação dos jovens”, afirmou o secretário, acrescentando que o projeto vai ser iniciado na Aldeia Santa Isabel do Morro, na Ilha do Bananal, onde ficará por seis meses. “A escolha desta primeira aldeia foi devido ao alto índice de suicídios que vem acontecendo lá, mas durante todo o ano a Secretaria estará em todas as aldeias do Tocantins, onde também fará o acompanhamento pedagógico e teórico”.

As modalidades escolhidas para serem praticadas pelos indígenas, segundo o secretário, foram determinadas a partir de pesquisas. “Nós temos conhecimento dos esportes preferidos dos povos indígenas, principalmente pelo fato de termos sediado os Jogos dos Povos Indígenas no ano passado. Então estaremos fortalecendo as atividades culturais deles, como a corrida de tora, cabo de guerra, travessia e outras, além de incentivarmos o futebol que é paixão nacional por todos os povos e é muito praticado entre os indígenas, assim como o voleibol”.

Para resolver definitivamente a problemática do suicídio decorrente principalmente do consumo de drogas como o álcool, o secretário afirmou que outros órgãos do Governo darão sua contribuição. “A preocupação e determinação do Governador Siqueira Campos é para cuidarmos da nossa juventude indígena. E junto à juventude indígena nos recomendou o cuidado para revertermos esses índices de suicídios e dar ocupação a estes jovens. Para isso também haverá acompanhamento de outros profissionais da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, Secretaria da Cultura e diversos órgãos”, afirmou Olyntho, acrescentando que “também faremos acompanhamento para saber se realmente teremos o resultado esperado que eu tenho certeza que teremos, devido ao comprometimento e empenho de todos os órgãos do Estado”. (Secom)