Estado

Visando abrir novos mercados, elevar a qualidade e fortalecer a cadeia produtiva do artesanato tocantinense, a secretária de Cultura do Estado, Kátia Rocha,participou da missão à Espanha que teve como objetivo conhecer, discutir e preparar protocolos de cooperação técnico financeira em diferentes áreas e preparar a visita do Governador Siqueira Campos ao país, que deve ocorrer no segundo trimestre deste ano.

Segunda Kátia, a viagem foi uma oportunidade de troca de informação e intercâmbio cultural entre os dois países. “Nossa missão foi abrir caminhos para a ida do Governador, em junho. Retornamos com a confiança que serão assinados acordos de cooperação com as fundações que visitamos”. Para a secretária, o Estado possui uma produção relevante, mas falta qualidade para que os produtos possam ser exportados, e a Espanha possui um artesanato organizado, com tecnologia de ponta.

Para a secretária, o artesanato tocantinense ainda não foi apresentado em grandes eventos de moda na Europa, mas para isso é preciso que os artesãos criem produtos com características que agradem e possam atender o mercado espanhol.Kátia visitou a Fademur – Fundação de Mulheres Trabalhadoras do meio Rural e a Fundesarte – Fundação Espanhola para Inovação do Artesanato, localizadas em províncias próximas à capital, Madri.

A secretária visitou ainda a Embaixada brasileira, onde foram recebidos pelo embaixador Paulo de Oliveira Campos. “O embaixador disse que conhece e admira as peças em capim dourado e convidou o Estado para fazer uma mostra de artesanato na Embaixada. A data ainda não foi definida, mas pode ser que seja na mesma época da visita do Governador à Espanha”, adiantou.

Cooperativismo

Kátia destacou que naquele país as fundações atuam de forma coletiva, em sistema de cooperativismo e associativismo com artesãos e produtores de todo o país. Na Fademur Kátia visitou a designer Lola Barasoain, que produz artesanatos em retalhos. “Suas peças fazem um resgate de uma cultura da região em que vivem, transformando em uma oportunidade de negócios. Aqui no Estado trabalhamos com várias comunidades e visualizamos neste intercâmbio uma forma de despertar e fortalecer as comunidades daqui,baseadas nas experiências que conhecemos lá”.

Segundo Kátia, a Secult e o Sebrae estão verificando a possibilidade de a designer vir ao Tocantins para ministrar oficinas no Estado. “Temos artesãs que já produzem peças com retalhos, nos municípios de Arraias e Monte do Carmo. Como já estamos trabalhando com oficinas que buscam a identidade cultural das comunidades, nada mais interessante que oferecer esta oficina para as nossas artesãs”, adiantou.

Empreendedorismo

A secretária também conheceu outras mulheres consideradas empreendedoras. Uma designer que trabalha artesanalmente na produção de casacos de lã de carneiro, e outra que possui uma minifábrica de produtos embutidos de suínos.“Ela utiliza tecnologia de ponta, mas com custo customizado. Percebemos que é uma característica das mulheres espanholas, são mulheres empreendedoras, que buscam ações voltadas para o empreendedorismo em sua região, muitas com ateliês dentro de suas próprias casas”, elogiou.

A diretora técnica do Sebrae Tocantins, Milla Jaber, que também participou da missão,ressaltou que na Europa tudo é muito organizado, e que as fundações que visitaram buscam fortalecer o empreendedorismo voltado para a geração de renda,de forma coletiva. “Fomos em busca de competências técnicas, pois o artesanato tocantinense é rico, mas falta assistência no processo de inovação. O objetivo é fortalecer a parceria, trazendo para o Tocantins esses profissionais com metodologias diferenciadas para que o nosso processo produtivo possa ter um diferencial”, completou. (Ascom)

Por: Redação

Tags: Fademur, Milla Jaber, Sebrae, Siqueira Campos