Estado

Foto: Divulgação

Ao inspecionar trecho da Ferrovia Norte Sul, em Goiás, nesta quinta-feira, 15, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a obra é estratégica para o Tocantins e se transformará numa coluna vertebral para o Brasil. “Essa é uma ferrovia estratégica, ela não é importante apenas para os governadores Marconi Perillo e Siqueira Campos, ela vai chegar a São Paulo e no futuro fará o transporte de carga e de pessoas até Rio Grande (RS). Ela será a coluna vertebral do País”, disse Dilma, ao destacar a importância da Ferrovia Norte Sul para o desenvolvimento dos estados.

O governador Siqueira Campos, juntamente com o governador de Goiás, Marconi Perillo e o prefeito de Anápolis, Antônio Gomide, recebeu a presidente da República, Dilma Rousseff, na manhã desta quinta-feira, 15, durante visita para vistoria da Ferrovia Norte Sul em Anápolis.

A visita da presidente, que estava acompanhada dos ministros do Planejamento, Miriam Belchior, e dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, durou cerca de 20 minutos e começou com vistoria aos túneis um e dois da ferrovia, próximo a Anápolis. A linha faz parte do trecho de 855 km que liga Anápolis a Palmas. Esta porção da ferrovia já está com 95% das obras concluídas e recebeu investimentos de R$ 2,92 bilhões.

A ferrovia faz parte do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento e, quando concluída, terá cerca de 3 mil quilômetros de extensão que farão a integração de regiões do país, reduzindo o custo do transporte de cargas e favorecendo o crescimento de projetos agropecuários e agroindustriais nesse eixo. O projeto da ferrovia é executado pela Valec - Engenharia, Construções e Ferrovias, empresa pública vinculada ao Ministério dos Transportes.

Além da vistoria, Dilma também participou de uma reunião de trabalho com os responsáveis pela obra, no canteiro do trecho que liga Ouro Verde (GO) a Estrela do Oeste (SP). Com 680 quilômetros de extensão, 23% das obras desse trecho estão concluídos e a previsão de investimentos é R$ 2,7 bilhões até 2014. Os dados sobre os dois trechos da ferrovia são do Ministério dos Transportes.

A presidente não se esqueceu de ressaltar em seu discurso que a ferrovia será capaz de agregar valores aos produtos produzidos no Tocantins, em Goiás e em todos os outros estados por onde ela passa. (Com informações da Agência Brasil)