Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Ao final das discussões sobre a situação da saúde pública do Estado, ainda na sessão da última terça-feira, o deputado Stalin Bucar (PR) chegou a mencionar a possibilidade de se recolher assinaturas para a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a contratação da Pró-Saúde para administrar 17 hospitais públicos do Tocantins. A possibilidade, no entanto, segundo a líder da bancada de oposição, Josi Nunes (PMDB), ainda não foi discutia entre os membros contrários ao governador Siqueira Campos (PSDB).

Josi, em entrevista ao Conexão Tocantins, frisou que a bancada de oposição tem se reunido constantemente para tratar dos assuntos que tem chamado a atenção da população, como é o caso da saúde pública no Estado, mas que uma possível CPI para analisar a situação ainda não entrou na pauta das discussões. “A nossa bancada ainda não sentou para conversar sobre isso”, disse.

Mesmo se o tema entrar nas rodas de debate da bancada oposicionista, Josi destacou que será difícil conseguir as oito assinaturas necessárias para instaurar a comissão. “Nós já fomos 15 deputados de oposição, mas hoje está difícil de conseguir”, completou. Contudo, a deputada frisou que o grupo, mesmo reduzido, continuará se reunindo para discutir a possibilidade de CPI da saúde.

A deputada ainda lembrou de situação semelhante, acontecida no ano passado, em que os parlamentares oposicionistas conseguiram recolher as assinaturas necessárias para entrar com pedido de CPI para investigar as dispensas de licitação, além de supostas irregularidades no Tribunal de Contas do Estado, mas os pedidos acabaram arquivados após votação em plenário. “Para fazer isso, vamos ter que nos reunir para não acontecer o que aconteceu no ano passado”, salientou.