Estado

Foto: Divulgação

A recente viagem oficial de gestores e técnicos do governo do Estado a Vancouver, no Canadá, permitiu à comitiva tocantinense o conhecimento de uma das mais modernas tecnologias do mundo no combate a incêndios florestais, como montagem de logística, procedimentos técnicos operacionais de equipamentos, inclusive os utilizados em áreas de difícil acesso.

Agora, a equipe que visitou in loco a experiência canadense, integrada pelo Naturatins, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Cipama e Secretaria de Segurança Pública, prepara um relatório para ser entregue na próxima semana ao governador Siqueira Campos. Nele, irá constar tudo o que foi visto e assimilado, e o que mais interessa ao Estado para resolver o sério problema dos incêndios ambientais, que, apesar da redução de mais de 60% no ano passado, deixou o Tocantins na 2ª posição no ranking dos estados com mais focos de queimadas, atrás somente de Mato Grosso.

O presidente do Naturatins - Instituto Natureza do Tocantins, Alexandre Tadeu, informa que após se reunirem com o governador será formalizada uma carta-consulta para ser apresentada pelo governo à Assembleia Legislativa, com objetivo de ser pleiteado financiamento estimado entre R$ 30 milhões e R$ 50 milhões junto ao EDC - Banco Governamental de Apoio aos Investidores e às Exportações Canadenses visando à aquisição de equipamentos, treinamentos e software.

Equipamentos sofisticados

O Canadá, país de extensão continental superior à do Brasil, com florestas de coníferas e muitas de difícil acesso, é bastante afetado por incêndios florestais - 50% deles de origem natural, ou seja, causados por raios e demais fenômenos atmosféricos - teve de desenvolver equipamentos próprios e inéditos para enfrentar o problema. Um dos locais visitados foi a província de British Columbia, com mais de 900 mil km², mais de três vezes, portanto, a extensão do Tocantins.

São estações meteorológicas fixas e portáteis que visam avaliar a situação da umidade relativa do ar que, com uma série de fatores combinados, não só ajudam a prevenir desastres como ajudam a estabelecer estratégias de atuação. E ainda, bombas de combate a incêndios contendo peso de 1,700 kg de água para ser acoplada a helicópteros, veículos, dentre outros meios.

Para o tenente-coronel Dodsley Yuri Tenório, do Corpo de Bombeiros, a missão da delegação tocantinense foi de grande valia. Ele acredita que diante da problemática que o Estado enfrenta nesta área e a sensibilidade do governador Siqueira Campos o Estado deverá ser bastante beneficiado em adotar o modelo canadense de combate a focos de calor.

Ele aproveita para relacionar o trabalho positivo no setor desde o ano passado, com a criação da Brigada da Comunicação (a ação de transversalidade de 23 órgãos do Governo do Estado), através das ações do Pacqto - Programa de Combate às Queimadas do Tocantins. (Secom)