Polí­tica

Foto: Gleydson Medeiros

O presidente do PT de Palmas e também um dos nomes do partido para a disputa na capital no grupo do prefeito Raul Filho, Ivory de Lira revelou ao Conexão Tocantins nesta quarta-feira, 18, que o critério para definição do nome não serão apenas as pesquisas qualitativas e quantitativas.

“Não é só pesquisa, é um conjunto de outros aspectos que é preciso avaliar”, salientou. Segundo o presidente o PT está amadurecendo o nome para a disputa. “ A cada dia que passa estamos mais convictos de que vamos fazer uma grande coalizão de forças para o candidato de consenso”, disse.

Para Ivory o processo de definição está sendo conduzido de maneira estratégica. “Não tem ninguém dormindo, todo isso faz parte de uma estratégia”, disse. Na opinião de Ivory a decisão será tomada apenas no final do mês de maio.

Ao mencionar os nomes que disputam a preferência no grupo Ivory reafirmou a ligação do PR com a base do prefeito Raul Filho e que o nome da deputada estadual Luana Ribeiro está concorrendo à preferência dos partidos. Com relação ao PSB, que oficialmente lançou o nome de Alan Barbiero mas tem á disposição também o nome do deputado estadual Wanderlei Barbosa, Ivory diz acreditar que o partido é maduro para lidar com as duas candidaturas. A vice-prefeita, Edna Agnolin (PDT) e o deputado estadual Eli Borges (PMDB) disputam também a preferência.

O PP, que tem como pré-candidato o empresário Carlos Amastha, será convidado pelo grupo a ingressar nas discussões sobre as pré-candidaturas em Palmas, segundo Ivory. “Vamos convidar o Amastha para entrar na discussão”, confirmou. O PP tem assumido o discurso de independência com relação aos dois grupos ( do Palácio Araguaia e da prefeitura de Palmas) e aposta num projeto diferencial intitulado por alguns do partido de “terceira via”.

Resolução

O presidente Ivory esclareceu ao Conexão Tocantins sobre resolução que foi divulgada na imprensa de autoria do diretório metropolitano e que traz inclusive a assinatura dele contra alterações no plano diretor da capital. “Não participei da reunião, não assinei a resolução e nem tive conhecimento disso”, esclareceu. A resolução orienta os vereadores da base do prefeito a se posicionarem contra a expansão do plano diretor. “Vou tratar desse assunto na próxima reunião do diretório, não assinei nem autorizei ninguém a assinar por mim”, retrucou.