Polí­tica

Foto: Divulgação

O professor Elis Raik Miranda foi eleito como novo secretário estadual de Combate ao Racismo e Igualdade Racial do Partido dos Trabalhadores do Tocantins. A eleição aconteceu durante o Encontro Estadual do até então setorial, que agora adquire status de Secretaria Estadual, neste sábado, 21, no auditório do Hotel Arco-Íris.

Durante o evento, organizado pela Direção Estadual do PT, também foram eleitos os membros do Coletivo e os delegados que representarão o Tocantins, no Encontro que elegerá o novo secretário nacional.

O encontro contou com a participação de militantes de todo estado, e com a presença presidente estadual do PT e também optante do setorial, Donizeti Nogueira, do secretário estadual de Juventude, Domingos Santos, da jornalista Gleidy Braga, que éConselheira Nacional dos Direitos da Mulher, e denomes que integram a luta pelo combate ao racismo e igualdade racial como os petistasNeura Mota, Osedir Leão,Cristian Ribas,Mário José dos Santos,Vinícius Albernaz e também os coordenadores das Macrorregionais de Gurupi, Dianópolis e Paraíso, vereador Cabo Carlos, Tuca Pereira e Paulo Mota, respectivamente.

“Vamos fazer a nossa gestão juntamente com a Direção Estadual, para consolidar as ações do setorial, unificar nossas demandase também mobilizar a militância, mantendo o diálogo com os nossos militantes e assim construir uma agenda para este ano. A nossa responsabilidade é com o trabalho, pois eu aprendi que o discurso serve para entrada, mas não para permanência, o trabalho garante a permanência e nós vamos trabalhar para efetivar nossas ações e atender as demandas do nosso setorial”, discursou Elis Raik.

O presidente estadual do PT, Donizeti Nogueira, reforçou a importância do setorial para os objetivos do Partido e o compromisso da Direção Estadual em fortalecer a atuação do Coletivo. “Companheiros e companheiras, a direção está imbuída a organizar essa pauta. O que está em jogo aqui é ter um coletivo que efetive essas políticas que nós temos que cumprir, não apenas a cota de 20% do critério étnico racial, mas a cota de acordo com a realidade brasileira e do nosso estado, que tem uma população de maioria negra. Depois que foi aprovado no estatuto que 20% da direção tem que obedecer ao critério de 16 a 30 anos, 20% tem que obedecer ao critério étnico-racial, e 50% tem que obedecer à paridade de gênero, a direção tem essa missão e está trabalhando no sentido de cumprir esse objetivo do novo estatuto do partido. Já fizemos o congresso de Juventude, de Mulheres e agora o de Combate ao Racismo. Elis Raik você tem uma tarefa muito grande que é efetivar as diretrizes que a direção nacional está apresentando e que o Encontro Nacional vai deliberar pra gente aplicar aqui no estado. E a Direção Estadual vai estar junto para ajudar dentro das nossas possibilidades a efetivar essas políticas e a combater todas as formas de discriminação e preconceito”.

Moção de Repúdio

Os participantes do setorial repudiaram a utilização do nome de um dos maiores ícones do movimento negro, o herói Zumbi, pela Polícia Civil do Tocantins, na operação realizada no último dia 20, com objetivo de intensificar o combate ao uso e aotráfico de substâncias entorpecentes em Palmas. Durante o encontro, foi aprovada a confecção de uma Moção de Repúdio, contra a utilização do nome de Zumbi na operação, pois ofende a memória desse herói nacional.

Perfil

Elis Raik Miranda de Carvalho é professor, filiado ao Partido dos Trabalhadores desde 2001, militante domovimento sindical e membro doFórum Estadual de Educaçãoe Cultura Afro Brasileira, atuando nesse movimento de negro desde 2005.(AscomPT)