Educação

Foto: Divulgação

Durante audiência na manhã desta quarta-feira, 25, com o ministro Aluísio Mercadante, o governador Siqueira Campos colocou o Estado do Tocantins à disposição do Ministério da Educação para a implantação de projetos inovadores do Governo Federal.

O governador esteve acompanhado do secretário da Educação, Danilo de Melo Souza. Na ocasião o ministro confirmou sua participação como palestrante na Feira Literária Internacional do Tocantins (FLIT), em julho próximo. “O Tocantins é um grande laboratório para novos projetos, em todas as áreas, especialmente as tecnológica e educacional. Em nosso Estado as pessoas gostam de participar de novos desafios”, disse o governador após a audiência.

O ministro foi receptivo às reivindicações do Tocantins, que pretende ampliar a área de atuação do projeto Mais Educação, prevendo a oferta da jornada escolar ampliada com a promoção de atividades para melhoria do ambiente escolar, tendo como base estudos desenvolvidos pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), onde se destaca o Índice de Efeito Escola, indicador do impacto que a escola pode ter na vida e no aprendizado do estudante.

As unidades de ensino que participam do Mais Educação recebem recursos do Governo Federal para o pagamento de monitores, materiais de consumo e de apoio segundo as atividades ofertadas que são optativas e desenvolvidas no contra turno das aulas. Cada escola pode escolher as ações a serem executadas em macrocampos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica. No Tocantins, este ano, o número de unidades de ensino atendidas saltou de 147 para 305. Entre as novas escolas que aderiram ao programa estão seis escolas indígenas e 26 escolas do campo, todas da rede estadual de ensino.

O governo tem como meta, também, ampliar as Escolas em Tempo Integral (projeto Grandes Escolas), que já tem 28 em funcionamento no Estado, assim como o projeto Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), cujo objetivo é a alfabetização em língua portuguesa e matemática, até o 3º ano do ensino fundamental, de todas as crianças das escolas municipais e estaduais urbanas do País. A coordenação nos estados será realizada pelas secretarias estaduais de educação.Os professores que atuam no ciclo de alfabetização, participarão de cursos de aprofundamento de estudos para que consigam planejar o ensino na alfabetização, analisando e criando propostas de organização de rotinas na perspectiva do letramento. (Secom)