Estado

Foto: Divulgação

Depois que o governo estadual divulgou o quantitativo de vagas que o novo certame do Quadro Geral vai prever o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos – Sisepe, Cleiton Pinheiro afirmou ao Conexão Tocantins nesta quarta-feira, 2, que a demanda é maior do que 6352 vagas.

“Esse número mostra uma defasagem de quatro anos no número de vagas com relação ao concurso que foi feito antes. O governo está mantendo o mesmo quadro de vagas. Nós entendemos que a demanda hoje é de 12 mil”, frisou o presidente.

O Sisepe cobra o resultado de um levantamento que o governo estadual através da Secretaria Estadual da Administração se dispôs a fazer apontando a demanda de cargos por cada pastas. “O governo está errando mais uma vez ao divulgar as vagas por níveis já que em nenhuma das áreas ele colocou o diagnóstico sobre a necessidade de cargos por cada secretaria. Isso foi um compromisso do governo que mandou fazer o levantamento mas não apresentou o resultado”, frisou.

O presidente do Sindicato disse ao Conexão Tocantins que reconhece a autonomia do governo em definir quantas vagas vai dispor no certame mas ainda assim questiona o quantitativo. No certame anterior que foi cancelado foram ofertadas cerca de seis mil vagas também.

Outro ponto que o Sindicato questiona é sobre a terceirização dos sérvios gerais, já confirmada pelo secretário de Administração Lúcio Mascarenhas. “Nós vamos reivindicar, somos contra a terceirização, isso é demonstração de ingerência”, frisou.

Das 6352 vagas que o novo certame vai prever, 1768 são para ensino superior (1330 para provimento imediato), 3619 (sendo 2470 para provimento imediato) para ensino médio e ainda 965 (sendo 713 para posse imediata) para nível fundamental. Do total de vagas, 4513 aprovados devem assumir de imediato, segundo a Secad. São 123 cargos no total.