Polí­tica

Foto: Divulgação

Cerca de 700 delegadas de todos os estados brasileiros estão reunidas em Brasília para participar do XI Encontro Nacional de Mulheres do PT, que tem como tema “Feminismo, Políticas para Mulheres e Construção Partidária”, o qual elegerá também a nova composição da Secretaria Nacional de Mulheres do PT.

O evento, que começou na manhã deste sábado, 05, e encerra no domingo, 6, contou com a presença da atual secretária de Mulheres do PT, Laisy Moriére, de várias deputadas federais e estaduais, entre elas, as deputadas federais Benedita da Silva e Janete Pietá. Além das deputadas, estiveram presentes na cerimônia de abertura as ministras do Planejamento e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Miriam Belchior e Luiza Bairros, respectivamente.

O Tocantins conta com uma delegação de dez mulheres, entre elas, a deputada e secretária estadual de Mulheres do PT, Amália Santana, e as militantes Neura Mota Martins, Cynthia Mara Miranda, Elivane Maria da Silva, Gleidy Braga Ribeiro, Aline Kelly Lopes da Silva, Laudiceia Rodrigues, Daniella Mhonike Moureira, Elsinar Ferreira dos Santos e Ana Cleia Gomes da Silva.

Nesse primeiro dia de encontro, as participantes debateram políticas para as mulheres, construção partidária, ocupação de cargos públicos e espaços de decisão e, especialmente, a questão da paridade, resolução aprovada durante a Etapa Extraordinária do IV Congresso Nacional do Partido.

A deputada Amália Santana avaliou o encontro e destacou a importância das mulheres do PT ousarem ainda mais e traçar novas metas. “O encontro está sendo muito produtivo, percebemos que já avançamos em muitos aspectos como a conquista da paridade, a eleição da presidenta Dilma, a participação de mais mulheres nos cargos de primeiro escalão dos ministérios. Mas agora é hora de traçarmos novas metas e ousarmos ainda mais. Precisamos sair desse encontro com alguns encaminhamentos, como por exemplo, trabalhar o nome de uma mulher para disputar no próximo PED (Processo de Eleição Direta) e também para disputar as eleições da CUT (Central Única dos Trabalhadores)”.

“Nós ocupamos diferentes espaços no mercado de trabalho, estamos em maior número nas universidades, conquistamos vários direitos no país, mas ainda somos minoria nos espaços de poder. A integração das questões das mulheres na esfera política partidária e nos espaços governamentais depende da articulação de nós mulheres. Nós mulheres petistas temos um papel de protagonistas na incorporação das questões de gênero no partido, pois já ocupamos muitos espaços dentro do PT que mulheres em outros partidos não conquistaram ainda. Mesmo com todas conquistas a articulação continua sendo uma ferramenta fundamental para ocuparmos mais espaços”, enfatizou a delegada Cynthia Miranda, durante a plenária da mesa que discutiu o feminismo e a construção partidária.

Eleição

Três chapas concorrem à eleição da Secretaria Nacional de Mulheres. A chapa “Feminismo é no Plural”, em que a atual secretaria Laisy Moriére concorre à reeleição, a chapa “As Mulheres Podem Mais”, com a candidata Georgina Fagundes, do Distrito Federal, e a chapa “Unidade Feminista faz história no PT”, que tem a candidata Suely Oliveira, de Pernambuco.

No domingo, acontecerá a apresentação das chapas, das candidatas à Secretária Nacional e das emendas das teses. À tarde, será realizada a votação e apuração de votos. (Com informações da Ascom PT)