Estado

A pesquisadora da UFT – Universidade Federal do Tocantins, Adriana Malvásio desenvolve estudos com jacarés e quelônios – tartarugas e tracajás - no Centro de Pesquisa Canguçu, localizado no município de Pium. Adriana é doutora em Zoologia e trabalha fazendo um levantamento do perfil desses animais que vivem na região de transição entre o Cerrado, o Pantanal e a Floresta Amazônica.

“Nós estamos estudando como é formada a população desses animas: quantos são os machos e as fêmeas? Quantos são jovens e adultos? Qual é o tamanho deles. Esse levantamento é extremamente importante porque a partir do momento em que se entende como esses animais vivem e como eles são estruturados, é que se pode avaliar se eles estão bem ou se sobre ameaça de extinção” explica a pesquisadora Adriana.

Outro trabalho realizado no Centro de Pesquisa Canguçu gerenciado pela UFT é a conservação dos quelônios e jacarés, protegendo as áreas de reprodução, e ainda a conscientização ambiental dos moradores da região. Quinze pessoas entre pesquisadores e estudantes com bolsas do programa de Iniciação Científica participam do projeto. “No Canguçu os alunos de escolas e a população da região participam de palestras sobre a importância de se preservar esses animais, visitam os cativeiros onde estão os filhotes e ainda acompanham a soltura dos animais”, destaca Adriana Malvásio.

O Centro de Pesquisa Canguçu é um dos projetos beneficiados pelo Programa Estruturante desenvolvido pelo Governo do Estado por meio da Secretaria Estadual da Ciência e Tecnologia em parceria com a FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Nas obras de reestruturação do centro foram investidos R$ 601.945,00 com a construção de laboratórios de pesquisas. Ainda foram investidos R$ 91 mil reais na compra de equipamentos e veículos. As obras estão em andamento e a previsão de entrega é para o mês de julho.

O programa também beneficia outras Instituições de Pesquisas como, Unitins, Unirg, Funtrop e Ceulp-Ulbra.

De acordo com o secretário da Ciência e Tecnologia do Estado do Tocantins, Borges da Silveira, com o programa Estruturante está sendo possível preparar melhor as Instituições de Ensino e Pesquisa, com a reforma, ampliação e até mesmo a construção de novos laboratórios. “O nosso objetivo é dar aos pesquisadores boas condições para que eles possam realizar seus trabalhos, e ajudem no desenvolvimento do Tocantins, com a geração de conhecimento, produtos e serviços, a partir de suas pesquisas.” Informou Borges da Silveira. (Ascom Sect)