Estado

O Sintras e outras entidades representantes dos servidores públicos do Tocantins reuniram-se mais uma vez nesta última terça-feira, 15, para discutir a reformulação do Plano de Cargos e Carreiras da saúde.

Durante a reunião foi levantada a proposta pelos sindicatos do adicional noturno, insalubridade feita com base no salário, e foi aceita pelas entidades a criação das duas referências K e L na tabela financeira.

Sobre os índices de 5% na horizontal e 10,5% na vertical proposto pelo governo não foi possível chegar à discussão durante esta reunião, ficando como primeiro ponto a ser discutido na próxima reunião agendada para terça-feira, 22.

Dentre os pontos a ser discutido destacamos a alternância entre uma progressão e outra, onde a proposta do governo diz que no ano que pagar a vertical, não paga a horizontal, e, vice-versa.

Dessa forma a discussão sobre a ampliação da tabela financeira ainda não foi fechada nesta reunião de hoje, pois há muito pontos ainda para serem discutidos até chegar a uma decisão final, informa o presidente do Sintras, Manoel Miranda.

Por enquanto é só uma discussão com o governo para chegar a um consenso entre as entidades e o Estado, pois assim que definir todos os pontos, o Sintras levará a base para aprovação dos servidores e representados do sindicato.

De acordo com o presidente o enfermeiro Manoel Miranda o Sintras está sendo cauteloso durante todas as discussões. “Nós estamos discutindo o futuro do servidor. Temos uma carreira definida até o quarto nível e até a referência J. Nós queremos mais referências e mais níveis, mas também queremos em uma condição que os servidores não sejam prejudicados”.

O presidente conclui dizendo “Vamos tentar manter essas discussões até sair uma proposta final de reformulação do PCCV da saúde que contemple ambas as partes, pois o tempo urge e o servidor não aguenta mais esperar”, ressalta Miranda.

Por: Redação

Tags: Lúcio Mascarenhas, Manoel Miranda, Sintras