Opinião

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (SINDIFISCAL), homenageia os cidadãos residentes no território tocantinense, pois esses é que contribuem, em forma de tributos, para o desenvolvimento do Estado.

Da arrecadação promovida pelo trabalho do auditor o poder público obtém recursos para investir na melhoria da qualidade de vida da população.

Mas, quem paga esses tributos? Quando se fala do dia nacional do respeito ao contribuinte, devemos salientar que o objetivo deste dia é o de homenagear o contribuinte de fato, ou seja, aquele que efetivamente paga os tributos, e esses somos todos nós, consumidores dos diversos produtos, quando os compramos ou nos utilizamos de determinado serviço, o valor do tributo está incluído no preço destas mercadorias ou serviços, assim, quem paga o ICMS, por exemplo, não é a empresa que nos vende aquele artigo e sim, nós mesmos. Somos os verdadeiros contribuintes, as empresas, são importantes neste ciclo, pois recebem o valor do imposto dos consumidores e o repassa para o estado, município ou à União. Nos consumidores somos os homenageados.

Infelizmente nem todo dinheiro que confiamos ao mercado, para que seja repassado ao governo, chega ao seu destino final, sendo sonegado, e isso é crime tributário. O volume da carga tributária não pode ser desculpa para essa prática. O argumento: “se eu não sonegar não sobrevivo” é a mais pura forma de tentar enganar a opinião do contribuinte.

Quando alguém sonega está praticando um crime não somente contra o governo, mas, contra a sociedade que espera e precisa destes recursos que tem na essência de sua criação o bem estar social.

A má aplicação dos tributos arrecadados, refletindo negativamente nos serviços prestados ao contribuinte e os desvios praticados por aqueles que buscam se locupletar com o nosso dinheiro, que foi confiado ao poder público de todas as esferas para que produzisse conforto e satisfação, nos estarrecem.

Portanto, no dia nacional do respeito ao contribuinte, o Sindifiscal estende um forte abraço a todos, conclamando aos mesmos que exijam respeito, respeito este traduzido no direito de receber a nota fiscal ou cupom fiscal, exigindo-os, caso não sejam oferecidos de bom grado; Respeito na aplicação adequada dos recursos auferidos pelos cofres públicos. E que fiquemos vigilantes, denunciando irregularidades aos órgãos competentes para que a farra com o dinheiro público chegue ao fim.

*Carlos Campos é presidente do SINDIFISCAL - Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins

Por: Redação

Tags: Carlos Campos, Fisco, Sindifiscal