Polí­tica

Foto: Divulgação

Em discurso feito na tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira, 19, o presidente da Casa, deputado Raimundo Moreira (PSDB) informou que não irá concorrer à reeleição na iminente eleição da Mesa Diretora, prevista para o mês de julho. De acordo com Moreira, contudo, ele pretende participar do processo como colaborador e eleitor do novo dono da cadeira.

Antes de anunciar sua decisão, o deputado fez um breve resgate de sua gestão, desde a conflituosa eleição, em fevereiro de 2011, até as adequações propostas para a arrecadação e ajuste das contas da Casa de Leis. “Uma vez superadas as dificuldades iniciais, esta Casa começou a andar em águas mansas. Nos atentamos às questões de despesa do pessoal que estava acima do limite. Tivemos que cortar na carne por que estávamos no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal”, disse.

Além disso, o deputado lembrou do grave problema de saúde que passou no ano passado, quando precisou passar por cirurgias para superar um câncer na próstata. O problema de saúde foi, inclusive, um dos principais pontos preponderantes para que Moreira tomasse sua decisão. “Problemas de saúde. Estivemos na mesa de cirurgia duas ou três vezes no ano passado. Chega uma hora de tomar uma decisão. A Mesa prevê a possibilidade de o presidente ser candidato a reeleição. No entanto, depois de fazermos uma avaliação interna, nós decidimos não concorrer à reeleição. Nossa contribuição está sendo dada, mas não vou concorrer à reeleição”, explicou.

Está em tramitação na Assembleia Legislativa, um projeto de resolução de autoria do deputado Sargento Aragão (PPS) que pede exatamente a mudança da data da eleição que neste ano deve ser realizada no dia 5 de julho, para o dia primeiro de fevereiro. O projeto de Aragão ainda pode ser complementado por outra proposta semelhante de autoria dos deputados Freire Junior (PSDB) e José Bonifácio (PR).

Atualmente, mesmo com a eleição marcada para julho, a posse da nova diretoria da Assembleia Legislativa continua sendo no dia primeiro de fevereiro. Com isto, o atual presidente relatou um fato inusitado que pode ocorrer, caso a data não seja alterada. “Nós teremos um presidente de direito e um na expectativa de direito”, atentou.

Raimundo Moreira, entretanto, não se posicionou com relação à mudança na data da eleição da Mesa Diretora. Moreira se limitou a informar que irá respeitar o Regimento Interno da Casa.

Pré-candidatos

Vale ressaltar que até o momento, cinco deputados já demonstraram interesse em disputar a segunda cadeira mais importante do Estado. José Bonifácio (PR), Osires Damaso (DEM), Amélio Cayres (PR), José Augusto Pugliese (PMDB), além do afastado Sandoval Cardoso (PSD) que atualmente está na Secretaria Estadual das Cidades, já teriam colocado seus nomes à disposição.