Polí­tica

Foto: Divulgação

Marcada para a manhã deste sábado, 30, a convenção do PPS poderá trazer fatos novos para o cenário político da capital do Tocantins. Presidido em Palmas pelo deputado estadual Sargento Aragão, o PPS ainda não definiu que caminho irá seguir no processo eleitoral que inicia neste final de semana de convenções partidárias.

Até a noite de ontem, o deputado compunha um grupo político ao lado da vice-prefeita Edna Agnolin (PDT) e do deputado Wanderlei Barbosa (PSB). Contudo, após o anúncio do apoio do PDT à candidatura do governista Marcelo Lelis (PV), na noite de ontem, Aragão se viu isolado e com um partido para direcionar. O PSB de Wanderlei Barbosa também isolou seu deputado e indicou o professor Alan Barbiero como vice na chapa encabeçada pela deputada Luana Ribeiro (PSB). Com isto, é esperada a presença do ex-vereador de Palmas no encontro do PPS.

Outra especulação que ganha força enquanto o evento do PPS não inicia, seria uma possível composição do partido com a candidatura do empresário Carlos Amastha (PP). Mesmo parecendo insólito, a aliança que traz PP e PCdoB ainda é o grupo que poderia dar um espaço maior ao PPS, uma vez que o “partidão”, que é o responsável pela indicação do candidato a vice de Amastha, poderá abrir mão da indicação em prol de uma aliança mais forte.

Ainda na manhã de ontem, Amastha esteve reunido com o deputado Aragão e saiu “bastante animado”, conforme uma fonte muito próxima ao parlamentar. A expectativa no evento é que tanto o empresário quanto o deputado do PSB compareçam para anunciar a aliança partidária na convenção do PPS.