Polí­tica

Foto: Divulgação deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP)

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) declarou que o governador do Tocantins, Siqueira Campos (PSDB), poderá ser convocado para depor na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) do Cachoeira. Vice-presidente da CPI, Paulo Teixeira fez a afirmação nesta terça-feira (10) logo após o depoimento do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT). “O governador do Tocantins deverá ser convocado porque todas as relações que conduziram ao prefeito de Palmas conduzem igualmente ao governador”, argumentou o deputado.

Para convocar alguém a um depoimento, é necessária a aprovação dos membros da comissão, o que é feito por meio de votação. O requerimento para a convocação de Siqueira Campos foi apresentado pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR).

No caso de Raul Filho, a convocação foi aprovada depois que um vídeo divulgado pelo programa Fantástico, da TV Globo, mostrou o prefeito em reunião com o contraventor Carlinhos Cachoeira – o encontro teria ocorrido em 2004, quando Raul Filho ainda estava em campanha à Prefeitura de Palmas.

Assim como no caso do prefeito, as suspeitas de envolvimento entre Cachoeira e Siqueira Campos incluem possíveis doações de campanha e contratos com a Delta – empresa acusada de manter vínculos com o contraventor.

Depoimentos

A reunião desta última terça-feira, 10, na qual o prefeito de Palmas prestou esclarecimentos foi a última destinada a depoimentos neste primeiro semestre. Nesta quarta-feira a CPI não se reunirá, por ser o dia da votação do pedido de cassação do mandato do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) pelo Plenário do Senado. Acusado de ligações com Cachoeira, Demóstenes responde a processo disciplinar.

Com isso, ficarão para depois do recesso parlamentar, que começa na próxima semana, os depoimentos do dono da construtora Delta, Fernando Cavendish, e de Luiz Antonio Pagot, ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

A votação da possível convocação do governador Siqueira Campos com isto pode ter de esperar um pouco mais.

Eduardo Siqueira Campos

O deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ), também protocolou no final de maio, requerimentos que pedem a convocação do secretário de Relações Institucionais do Estado do Tocantins, Eduardo Siqueira Campos e o do seu pai, o governador Siqueira Campos.

Picciani justifica em seu pedido que o relatório da Polícia Federal teria revelado que o contraventor se aproximou do governo do Tocantins com a intenção de fechar contratos entre o Estado e a Delta Construções. (Da redação com informações Agência Senado)