Educação

Foto: Divulgação

O secretário estadual da Educação, Danilo de Melo de Souza, recebeu nesta segunda-feira, 16, representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e do Fórum Estadual da Educação do Campo para tratarem da situação das Escolas Família Agrícola dos municípios de Riachinho, Esperantina e Novo Acordo. As obras das unidades de ensino, agricultura familiar e alimentação escolar estiveram na pauta.

Para a construção das unidades de ensino estão sendo investidos R$ 6,9 milhões. Destes, R$ 3,4 milhões já foram repassados para o Governo do Estado. Segundo o secretário, para que os recursos sejam aplicados adequadamente é necessário ouvir as comunidades locais. “Queremos ouvir a comunidade, os movimentos sociais e visitar esses lugares com o objetivo de desenvolver um modelo de escola sustentável, organizado, mais confortável para os alunos do campo”, explicou Danilo.

Judite da Rocha, representante do Fórum Estadual da Educação do Campo, entregou a Carta do Fórum ao secretário da Educação e disse estar satisfeita com o resultado do encontro. “A reunião foi muito produtiva. Pretendemos provocar a discussão e esse debate foi o pontapé inicial para que as ideias saiam do papel para a prática”.

Para dar continuidade aos trabalhos foi acordada uma agenda de eventos para as próximas semanas. O primeiro encontro está marcado para 24 de julho em Novo Acordo. Nos dias 2 e 3 de agosto o grupo segue para Riachinho e Esperantina. Na segunda quinzena do mesmo mês acontece mais uma reunião com os movimentos sociais em Palmas.

“Esse era o nosso objetivo, construir em conjunto esta agenda por meio da qual pretendemos fazer essas escolas funcionarem da melhor maneira possível. É através da educação e do acesso às tecnologias que o MDA tem condições de contribuir para melhorar a vida dos estudantes e da classe trabalhadora do campo”, destacou Agostinho Chaves, delegado do MDA.

Também estiveram presentes no encontro a subsecretária Estadual de Educação Básica, Leida Maria Menezes; a superintendente de Padrões Mínimos da Seduc, Vânia Pereira; e a superintendente de Desenvolvimento da Educação, Idelma Bastos.(Ascom Seduc)