Estado

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Tocantins (Sintras-TO) e outros representantes de servidores da saúde reuniram ontem, quarta-feira, 18, com o secretário da administração, Lúcio Mascarenhas, para discutir sobre as gratificações de servidores que trabalham em regime de plantão no serviço de pronto-socorro.

Os sindicatos reivindicam que seja feita uma equiparação de igualdade entre os profissionais, ou seja, que as gratificações sejam estendidas a todos os profissionais que trabalham nos pronto-socorro em hospitais do Estado do Tocantins.

Atualmente somente os médicos recebem a gratificação, que é observado à carga horária e os valores remuneratórios. Portanto, no entendimento dos sindicatos, os enfermeiros, técnicos em enfermagem, auxiliar de enfermagem, assistente social, técnico em radiologia e outros profissionais que trabalham neste setor também tem direito de receber as gratificações.

Um dos pontos já acertados é que serão instituídos três projetos de Lei que irão abranger a Gratificação pelo Exercício de Atividade no Interior do Estado (GRIN), a Gratificação de Exercício de Atividade no Sistema de Regulação (GESR) do Estado, e o terceiro projeto institui a Gratificação de Urgência e Emergência (GUEM), UTI e Unidade Neonatal.

Também já foi definido que será feito pagamentos retroativos desde fevereiro de 2012, e que os servidores de contratos especiais também receberão o benefício. As gratificações se estenderão para os profissionais que laboram nos hospitais de Araguaína, Miracema, Maternidade Dona Regina, HGP e Hospital Infantil de Palmas, Regional de Gurupi, Regional de Paraíso, Regional e Materno Infantil de Porto Nacional.

Após a reunião ficou definido que até a próxima segunda-feira, os sindicatos devem protocolar a contraproposta na Secad, e no dia 26 deste mês, os sindicatos reunirão novamente com o Governo para definição das mesmas. (Assessoria de Imprensa)