Cultura

Foto: Divulgação

Depois de Anos de Sucesso comprovado do Festival Regional de Quadrilhas Juninas o estado do Tocantins será representado pela “Quadrilha Paixão Junina de Palmas” que estará disputando mais um titulo da temporada 2012 em Minas Gerais. Com o tema “Fé, Amor e devoção” e um elenco formado por 44 componentes a Paixão Junina se apresentará no Globo Minas neste domingo, 29, com algumas das maiores e mais respeitadas quadrilhas do Brasil.

Segundo a coordenadora do projeto Neila Kelly, aQuadrilha Paixão Junina é um processo sócio cultural desenvolvido em parceria com o Instituto Araguaia Tocantins e Associação de Moradores do Bairro Santa Bárbara da região sul da capital tocantinense, projeto este contemplado pelo Prêmio Mestre Dió da Secretaria Estadual de Cultura. “O ano de 2012 esta sendo muito importante para as quadrilhas do Tocantins. Palmas tem apresentado um alto nível de quadrilhas que tiveram excelentes colocações em festivais nacionais como o de Iguatu Festeiro no Ceará, além do Nacional realizado em Palmas. Temos convicções de que teremos uma boa colocação no Globo Minas, pontuou Kelly.

Para Wilson Alves, ex-presidente da Cojupa Comunidade Junina de Palmas, o sucesso do movimento junino no Tocantins é devido a soma de alguns fatores como: a persistência dos quadrilheiros em manter viva esta cultura popular e o apoio do Poder Publico Municipal e Estadual que já reconhecem a força do movimento junino do Tocantins. A Cojupa aprovou o projeto do Circuito Junino pelo Edital de Cultura do Estado do Tocantins, Premio Job Carvalho oportunizando a circulação de 8 quadrilhas por todo Estado do Tocantins, Ceará e Minas Gerais nos principais concursos juninos.

Em Palmas as Quadrilhas Juninas, um dos maiores movimentos culturais organizados, busca pela novidade e o novo ressaltou muito entre os quadrilheiros em suas coreografias, trajes, adereços e objetos cênicos. A quadrilha foi adaptada à cultura de cada região brasileira. Neste sentido, a Quadrilha Paixão Junina de Palmas, passou e passa por transformações decorrentes do contexto pelo qual em que está inserida e, por isso, é dinâmica ao mostrar os hábitos e costumes das pequenas e grandes comunidades. Neste sentido a tradicionalidade passa a ser percebida como algo que não rompe com o passado mais que se transforma a partir dele.

O Movimento Junino na Capital já supera em números o carnaval, São 22 quadrilhas juninas organizadas; juntas movimentam mais de 2.500 pessoas; aquece o comercio local, geram cerca de 200 empregos diretos e indiretamente, além de exercer um papel muito importante dentro da sua comunidade, pois a crescente experiência de quem vivencia a quadrilha conduz as pessoas envolvidas em todo o processo criativo, mobilizadas durante os 6 meses antecedentes ao período junino, para a busca do aprimoramento e do aperfeiçoamento técnico e expressivo na apresentação; os jovens que passam a fazer parte do elenco de uma quadrilha deixam de lado o ócio, as drogas e a prostituição e passam a ser agentes transformadores em sua comunidade, pois esses jovens passam deixam de ser coadjuvantes e passam a ser protagonistas ao exercer o cargo de artesãos, costureiras, aderecistas, músicos, dançarinos, coreógrafos, serralheiros, marceneiros e uma gama imensa de atividades profissionais que são requeridas na montagem de um espetáculo junino, finaliza Wilson Alves.