Polí­tica

O deputado estadual e candidato a vice-prefeito de Palmas, Sargento Aragão (PPS), será recebido pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante audiência nesta terça-feira, 31, em Brasília. Aragão é conselheiro titular do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP) e estará acompanhado de diretores da Associação Nacional dos Praças, entidade na qual é coordenador de bancadas Parlamentares Militares.

No encontro, serão discutidas as mudanças no sistema de segurança pública atual, como a criminalização dos movimentos militares, o voto do militar (garantir o direito ao militar que esteja em serviço no dia da eleição) e o fim da pena administrativa restritiva de liberdade. Com sua experiência de mais de 20 anos como policial militar, Aragão defende mudanças profundas na estrutura da Polícia Militar com a extinção do regulamento disciplinar que apresenta penalidades excessivas, “como a prisão e detenção de militares que em sua maioria são arbitrárias”.

Especialista na área de segurança pública, Aragão leva à audiência a realidade de Palmas e do Estado, além de problemas como o estagnação do efetivo militar na Capital. “Proporcionalmente o efetivo atual do 1º Batalhão da Polícia Militar, que fica em Taquaralto, é menor do que o de 1998, sendo que a população de hoje é maior”, destaca. Assim, ele acredita que a criminalidade aumenta, pois não há uma estratégia definida de atuação, o que pode acarreta em casos absurdos, como, por exemplo, quando em uma só noite mais de 20 motocicletas foram furtadas em Palmas.

Sargento Aragão foi um dos líderes do movimento reivindicatório de 2001, que marcou a história da corporação no Tocantins, quando os praças militares entraram em greve e com suas famílias ficaram aquartelados por onze dias, em reivindicação por melhores condições de trabalho e por salários dignos, já que na época um soldado recebia R$ 480 mensais. Sua atuação à frente do movimento culminou na sua eleição como representante da classe na Assembleia Legislativa do Tocantins, hoje em seu terceiro mandato, Aragão também preside a Comissão de segurança Pública da Casa.