Polí­tica

Foto: Divulgação

“Apoio a candidatura de Carlos Amastha por que ele é empreendedor, gera empregos e é disso que precisamos na nossa cidade, de alguém que tenha coragem para mudar Palmas”, disse o servidor público Edwardes Gomes, que participou de reunião realizada no último sábado, 29, no setor Jardim Aureny I, na região Sul da Capital.

O candidato a prefeito Carlos Amastha (PP) foi recebido na residência da dona Maria Rita Rêgo, que abriu as portas de sua casa para receber moradores da região, amigos e vizinhos e conhecer as propostas do candidato para Palmas. “Amastha é muito bem vindo a minha casa. Cansei dos que estão aí no poder a muito tempo e que nunca fizeram nada. Os meus vizinhos e amigos gostaram bastante do nosso encontro”, disse.

Na reunião, Amastha destacou a necessidade da geração de empregos na Capital e a importância da iniciativa privada para fortalecer o setor e oferecer novas oportunidades à população. “É visível o impacto que a recente inauguração do supermercado Mateus provocou na cidade. Palmas foi a única capital onde a cesta básica caiu 5%”, disse ele reforçando que “o emprego privado significa mais liberdade e o funcionário pode escolher seu candidato, declarar sua opinião de forma tranquila, diferente do absurdo que estamos ouvindo nas ruas onde milhares de funcionários públicos não podem declarar abertamente o seu voto, pois temem perder o emprego”, salientou.

Região Norte

Ainda na noite de sábado, Carlos Amastha, acompanhado de sua esposa Glô Amastha, participou do sexto aniversário da Igreja Assembleia de Deus, Ministério Casa de Oração, na 407 Norte. Na ocasião, o pastor da congregação, Itamar de Almeida, declarou apoio ao candidato. “Você pode ter vindo de outro país, mas veio para fazer a diferença em nosso meio. Precisamos de pessoas preparadas como você para administrar a nossa cidade”.

Em sua fala, Amastha agradeceu o convite da igreja e pediu orações. “Peço suas orações e nos acompanhe nessa luta”. Uma das propostas apresentadas pelos evangélicos presentes foi a criação de uma Semana Cultural Gospel, para interação entre as igrejas. (Assessoria de Imprensa)