Polí­tica

Estudo realizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra que o porcentual de prefeitos que tentarão um segundo mandato neste ano é o de 2.736 (74,8%) perdendo para os que tentaram concorrer da eleição passada que foi de 78,6% desde a introdução do instituto da reeleição. Dos 3.659 prefeitos que podem disputar a reeleição em 2012, 2.736 (74,8%) registraram suas candidaturas e vão concorrer.

Em 2000, na primeira eleição municipal na vigência da emenda constitucional da reeleição, todos os 5.558 prefeitos puderam disputar o segundo mandato, mas apenas 3.448 o fizeram (62,0%). Em 2004, o número de prefeitos em condições de se reeleger caiu para 3.556, e o número efetivo de candidatos à reeleição foi de 2.251 (63,3% dos que podiam). Ou seja, embora o número absoluto de candidatos à reeleição de 2000 ainda seja o maior, o índice de tentativa de reeleição tem crescido a cada pleito, atingindo o maior porcentual das três eleições em 2008.

Eleições municipais: comparação histórica

Ano

Nº Prefeitos
que podem
disputar reeleição

Nº Prefeitos
que tentam
reeleição

% tentativa

2000

5.558

3.448

62,0%

2004

3.556

2.251

63,3%

2008

4.368

3.435

78,6%

2012

3.659

2.736

74,8%

Com base nos resultados do Tribunal Superior Eleitoral, o porcentual de sucesso dos prefeitos na reeleição foi coincidentemente de exatos 58,2% nos dois primeiros pleitos e em 2008 alcançou 65,9%. Se utilizarnos uma média simples das três últimas eleições, teremos 1.660 prefeitos reeleitos.

Eleições municipais: perspectiva de reeleição

Ano

Nº Prefeitos
que tentam
reeleição

Nº Prefeitos
que vencem
reeleição

% sucesso

2000

3.448

2.006

58,2%

2004

2.251

1.310

58,2%

2008

3.435

2.266

65,9%

2012*

2.736

1.660

60,7%

(*) Números estimados

Para o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, este porcentual de prefeitos que tentará a reeleição é um dado relevante, que pode refletir a melhoria dos indicadores fiscais e de gestão dos municípios. “Os prefeitos sanearam as contas no último mandato e presumem que poderão se planejar melhor num segundo mandato e concluir as obras e projetos iniciados”, diz Ziulkoski.

Segundo ele, entretanto, ainda há um número considerável de prefeitos que desiste de concorrer em virtude da fiscalização ostensiva e – até certo ponto – desigual que sofrem do Ministério Público, se comparado com os governadores. “Apesar disso, a maioria está se atrevendo a buscar a reeleição”, afirma o presidente.  Também salienta que a nova gestão que será eleita este ano, será caracterizada por novos prefeitos e prefeitas.

Para saber quantos candidatos potenciais à reeleição efetivamente concorrerão em 2012, a CNM comparou um a um os atuais prefeitos com os registros das candidaturas junto ao TSE. Existem duas formas de analisar o porcentual de candidatos à reeleição: em relação ao total de prefeitos (coluna A) e ao subtotal dos que estão em primeiro mandato e podem concorrer a reeleição (B).

Segundo o estudo, o Estado do Acre é o que apresenta o maior índice de tentativa de reeleição. Dos 13 prefeitos que vão concorrer (de um total de 14), 92,9% será candidato. Sergipe é a unidade da federação com o menor índice de tentativa de reeleição: 66% dos prefeitos em condições de disputar o segundo mandato entrarão na disputa, embora 78% dos prefeitos sergipanos tenham condições para tal.

Em São Paulo, o índice de tentativa de reeleição é de 80%, e no Rio Grande do Sul, 67%. Em números absolutos, Minas Gerais é o que tem o maior número de prefeitos disputando um segundo mandato: 374.

O partido político com o maior número de candidatos à reeleição é o PMDB, com 531 (72%); seguido do PSDB, com 328 candidatos à reeleição; do PT, com 316; do PP, com 248, e do DEM, com 178.

Proporcionalmente ao número de prefeitos que possui, o PRTB é o que tem o maior índice de tentativa: 8 dos seus 9 prefeitos atuais (88,9%) vão disputar o segundo mandato. Em segundo lugar, dos principais partidos, aparecem os prefeitos do PT: 55,9% deles vão tentar a reeleição. No PSDB, 43% dos prefeitos atuais registraram suas candidaturas, e no DEM, 43%. Estes porcentuais estão na última coluna da tabela abaixo (% de C/A).

Se comparamos o número de candidatos à reeleição em relação ao número dos que podem concorrer (% de C/B), o PRTB continua liderando a lista, com 100%, seguido pelo PMN, com 91,7%, e pelo PTC, com 90%. O PTN tem o menor porcentual de tentativa (54%), seguido pelo PTB e pelo PR, ambos com 71,4%.