Polí­tica

Foto: Emerson Alencar

Após apresentações em 12 cidades, a Cia Contágius de Dança retorna a Palmas, onde encerra a turnê do espetáculo Sós e Nós com apresentação na Aldeia Jiquitaia – Mostra Cultural neste domingo, 2 de setembro, às 20  horas, no Teatro do Sesc, localizado no Centro de Atividades.

A montagem, que tem direção geral, concepção e produção artística da coreógrafa e diretora artística da Companhia, Meire Maria, marca as comemorações dos 20 anos de criação da Contágius. A circulação foi possível graças a seleção em dois editais, o Funarte/Klauss Vianna-2011, para circulação nacional, e o Prêmio Fernanda Montenegro, do governo para circulação estadual.

Espetáculo

Sós e Nós retrata, através da linguagem da Dança Contemporânea e da Dança-Teatro a condição humana no mundo contemporâneo, o homem e sua busca pelo amor e a expectativa de cada indivíduo quanto a sua relação consigo e com o outro. Sua base de criação são as poesias de dois ícones da literatura tocantinenses, José Gomes Sobrinho (in memoriam) e Tião Pinheiro, que será homenageado, assim como Gilda Bonfim, viúva e Gomes, durante a apresentação.

A trilha musical e as poesias deste espetáculo eclético e de temática tão atual se transformam em uma tela, que através das coreografias e textos nos dizem o quanto essa busca é constante e inerente ao ser humano.

Contágius

A Cia Contágius de Dança nasceu em Palmas há 20 anos, pelas mãos da bailarina e coreógrafa carioca Meire Maria. Além da montagem de espetáculos de grande sucesso, como A Lenda de Matauá-ry (2000) e Tudo Acaba em Samba (1997/98), a companhia investe em ações voltadas para formação de plateia para a dança no Tocantins.