Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador e candidato à reeleição Fernando Rezende (DEM) usou a tribuna da Câmara de Palmas na sessão ordinária dessa terça-feira, 11, para denunciar a condução de programa de moradia na capital. Com o objetivo de fiscalizar e garantir a celeridade do processo habitacional, o parlamentar está com a lista em mãos das famílias e também com a relação das pessoas cadastradas nos programas e no sistema da Secretaria Municipal de Habitação.

Os beneficiários do Programa Cheque Moradia, cadastrados no sistema da SEHAB, no qual consta que receberam o cheque moradia no valor de R$ 4.000,00 alegam não terem recebido nenhuma quantia em dinheiro.

Rezende também teve acesso à lista dos lotes que foram destinados ao Movimento Nacional de Luta pela Moradia – MNLM na qual relata a metragem e a quantidade de apartamentos a serem construídos. Porém, nenhum apartamento está pronto, na lista diz que “ainda não foram construídos” ou apenas que “iniciaram a construção”. No total são 257.275,11 metros para a construção de 2.916 apartamentos nas quadras Arso 103, Arse 132 e na ALC NO 33.

O morador do Aureny II e presidente do bairro, Pedro Raimundo, está cadastrado no programa habitacional Janaina e alegou já possuir casa própria há dezenove anos. “O pessoal da secretaria de habitação que veio aqui fazer meu cadastro, mas eu já tenho casa própria há dezenove anos. Não quero casa eu só quero a escritura, pois essa área não é regularizada”.

Segundo Rezende o que está acontecendo com o movimento pela moradia é uma vergonha. “Infelizmente nos últimos anos as casas populares estão sendo usadas para interesses políticos partidários. Não prometo e jamais prometerei casa por voto, mas faço compromisso com a população que continuarei lutando e fiscalizando para que os direitos dos mais carentes sejam respeitados e que a fila ande com a celeridade exigida”, disse.

O secretário de desenvolvimento Urbano e Habitação de Palmas, Gustavo Bottós, falou sobre a possibilidade de substituir as pessoas que estão à frente do movimento de moradia. “Já recebi muitas denúncias, não só a do vereador Fernando Rezende, como também de outros pares sobre o desvio de finalidade da moradia. Pelas inúmeras denúncias apresentadas vou analisar a possibilidade de substituir as pessoas que estão à frente do movimento de moradia”, disse. (Assessoria de Imprensa)