Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Miranorte, autuou em flagrante delito, na tarde desta quarta-feira (26) o ajudante de pedreiro Antônio Ribeiro dos Santos, 30 anos. Ele é acusado pela prática do crime de tráfico de drogas e, também por porte ilegal de arma de fogo. De acordo com informações da delegada responsável pelo caso Dra. Iolanda de Sousa Pereira, o acusado já vinha sendo monitorado pela Polícia Civil há aproximadamente sete meses por fortes indícios de que o mesmo utilizava sua própria residência como “boca de fumo” para a comercialização de drogas.

No início da tarde desta quarta-feira, a equipe de policiais civis, sob o comando da Delegada Iolanda e com apoio e orientação do Delegado Regional Cléssyws Antônio de Castro Alves, percebeu que o acusado estaria novamente comercializando drogas em sua residência. Nesse momento, foi solicitado o apoio da Polícia Militar para que pudesse ser efetuada a abordagem e prisão do traficante.

Ao adentrar na residência de Antônio, os policiais, após efetuar algumas buscas, encontraram 66 pedras de crack embaladas e prontas para a comercialização, além de um revólver calibre 38 municiado com cinco cartuchos, além de nove outras munições intactas, que o suspeito tentou se desvencilhar, jogando ao lado de um muro, quando percebeu a chegada da polícia. No quintal da residência de Antônio, foram localizados enterrados a quantia de aproximadamente 200 gramas de uma substância branca em pó muito parecida com  Merla, composto da cocaína. Exames ainda serão conduzidos no sentido de se determinar com exatidão o tipo de droga encontrada.

Também foram encontrados em poder do acusado, três aparelhos celulares e a quantia de R$ 290,00 (Duzentos e Noventa Reais) que Antônio confessou serem provenientes da comercialização de drogas por ele efetuada. Após ser preso, Antônio Ribeiro dos Santos foi conduzido à Delegacia de Miranorte onde foi autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, já que o mesmo admitiu que o revólver encontrado em sua casa, era de sua propriedade e era usado para sua proteção pessoal.

O traficante foi posteriormente recolhido à carceragem da cadeia pública daquele município, onde permanecerá a disposição do poder judiciário. (Ascom PM)