Estado

Lotado no Palácio Araguaia, como ajudante de ordem do governador, o capitão da Polícia Militar, Marcel Sales Campelo foi exonerado de suas funções, conforme o Diário Oficial da última sexta-feira. De acordo com a Casa Militar, a medida foi tomada para que o oficial pudesse se dedicar às suas funções que desenvolve nas eleições de 2012.

O oficial da PM, desde o início da campanha eleitoral, vinha desempenhando ativamente papel de militante político, principalmente através de suas contas em redes sociais. A PM explicou que o capitão Sales estava de férias e por isso suas atividades políticas não interferiram em suas funções no Palácio Araguaia.

O candidato a vereador pelo PDT, Ricardo Ribeirinha, chegou a citar o nome de Marcel Sales Campelo, como um dos motivos para sua saída da coligação de apoio ao candidato Marcelo Lelis (PV), defendido pelo capitão.

Marcel Campelo chegou a conceder entrevista ao site T1 notícias, na qual relatou um encontro com Ribeirinha, no qual teria dito, ao ser cumprimentado pelo candidato, que "não conversava com vagabundo".

Acompanhe abaixo, a íntegra da nota oficial emitida pela Casa Militar.

Nota

Sobre o questionamento deste veículo de comunicação, a Casa Militar do Tocantins informa que o Capitão da Polícia Militar Marcel Sales Campelo goza de período de férias e, para participar mais ativamente das atividades que ele desenvolve dentro do atual momento eleitoral, a Casa Militar entendeu por bem liberá-lo de suas funções.

Palmas, 1° de outubro de 2012.

Casa Militar do Tocantins