Polí­tica

Foto: Koró Rocha

Em resposta aos questionamentos do deputado Sargento Aragão (PPS), o ex-líder de governo na Assembleia Legislativa do Tocantins, deputado José Bonifácio (PR) criticou a relevância das críticas do vice-prefeito eleito de Palmas. Para Bonifácio, ainda, o comandante-geral da Polícia Militar tem autonomia para liderar a corporação no Tocantins. 

Para o deputado do PR, é desnecessária a discussão sobre a justificativa do coronel Marielton Francisco dos Santos, ao rejeitar a convocação do cabo José Luiz Carvalho, pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), para compor as forças especiais que atuarão na região de Ponta Porã – MS. “Estamos discutindo doença de cachorro. Deputado sargento Aragão, esta polícia, por mais gloriosa que seja, não merece estarmos discutindo doença de cachorro”, completou.

Em seu discurso, Bonifácio ainda questionou as críticas feitas por Aragão ao fato de a rejeição da convocação do policial ter sido uma ordem direta do comandante-geral. “Que comandante geral é esse que não pode comandar o deslocamento de um praça ou um oficial? Eu não quero ser um comandante que não possa demitir um comandado da minha confiança por que não seguiu minha confiança”, atacou.

Ao defender as ações de Siqueira Campos (PSDB), o deputado, que já foi líder de governo, frisou que o governador tem autoridade para mexer nos escalões da polícia. Na oportunidade, o deputado questionou  policiais que possuem uma segunda atividade para complementar a renda. “Nós conhecemos sua capacidade (de Siqueira Campos), mas ele não será o salvador da pátria. Somos a segunda polícia mais bem paga do país e ainda querem ficar fazendo bico na porta do supermercado, correndo risco de morrer para ganhar um pouco mais”, criticou.