Cultura

Primeira montagem de teatro do absurdo do Estado, uma montagem do Coletivo Três Marias “A Perseguição” ou “O longo caminho que vai de Zero a Ene“, estreia nesta quarta-feira, 24, e segue em cartaz na quinta-feira, 25, com duas sessões por dia às 19h30 e 20h30 no Teatro Sesc Palmas.

O espetáculo teatral do escritor brasileiro Timochenco Whebi, “A Perseguição” ou “O longo caminho que vai de Zero a Ene”, é o primeiro trabalho do Coletivo de Teatro 3 Marias e foi contemplado em primeiro lugar no Prêmio Arnaud Rodrigues, de Apoio a Montagem de Espetáculos de Artes Cênicas do Edital de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do Estado do Tocantins.

A pré-estreia do espetáculo foi nos dias 2 e 3 de junho, no Teatro Sesc Palmas e impressionou com a receptividade do público palmense.

Segundo a assessoria, com o objetivo democratizar o acesso à produção teatral o grupo propõe um valor de ingresso popular, R$ 10 a inteira e R$ 5 e distribuirá 30% dos ingressos gratuitos, com uma hora de antecedência, para estudantes de escola pública.

Vale lembrar que o chamado “teatro do absurdo”, em verdade trata de esclarecer muitos dos enganos a que a sociedade moderna mergulhou, confundindo individual e individualismo, coletivo e massa e muitos outros mitos consagrados como modernos e que contribuem para a descaracterização do ser humano.

A obra então tentar retratar a incansável busca humana por respostas a cerca da existência, e o Coletivo 3 Marias convida o público palmense a refletir sobre a vida e conhecer um importante texto de um grande dramaturgo brasileiro, inédito no Tocantins.