Campo

Foto: Divulgação

Na Região Norte do Estado, na cidade de Santa Fé, a 430 km da capital Palmas, agricultores familiares da região tiveram uma grande oportunidade de comercializarem, divulgarem e exporem seus produtos. Nos dias 25 e 26 de outubro, o Governo do Estado por meio do Instituto de Desenvolvimento do Rural do Tocantins, Ruraltins, vinculado a Secretaria da Agricultura, Pecuária e do Desenvolvimento Agrário realizou a II Feira e encontro dos Agricultores Familiares de Santa Fé do Araguaia.

 O evento, que reuniu também agricultores dos municípios de Muricilândia e Aragominas, mostrou aos visitantes a força da produção na região com destaque para a fruticultura, o artesanato, a olericultura, floricultura, além de doces e polpas de frutas.

 O agricultor João Dias Martins, de 72 anos, dono de uma quitanda no município de Santa Fé, participou pela primeira vez da feira e saiu satisfeito, pois nos dois dias conseguiu comercializar cerca de R$ 800 reais com a venda de abóboras, cereais, ovos, frutas e frango. “Por dia, no meu pequeno estabelecimento, vendo cerca de R$ 150 reais, aqui consegui faturar o dinheiro de quase uma semana de trabalho”, comemorou.

 Dona Ercília Gomes da Cunha, produtora rural, também comemorou o sucesso nas vendas. Em sua banca, as mais de 300 mudas, entre plantas frutíferas e flores, atraíram a atenção dos consumidores. “Essa feira tem que ser permanente, produção nós temos, o que falta é local para vender”, avaliou. A produtora conseguiu comercializar cerca de R$ 2 mil.

 De acordo com a assessora da presidência do Ruraltins, Iranilde Gonçalves, por causa de encontros como esse, em Santa Fé do Araguaia, os agricultores familiares conquistaram o direito de ter um espaço permanente para comercializarem seus produtos, que será inaugurado em breve pela prefeitura municipal.

 “ As feiras e encontros da agricultura familiar são realizadas em diversos municípios do Estado e vêm possibilitando aos participantes oportunidades de negócios e conquistas de novos mercados, os gestores estão sensíveis a isso”, disse.

 A chefe do escritório local de execução de serviços do Ruraltins, em Santa Fé, Almerice Rodrigues, destacou que mais de vinte profissionais do órgão, além de parceiros como a prefeitura municipal, se mobilizaram para que a feira acontecesse. “Não medimos esforços para que tudo desse certo, foi um momento para a troca de conhecimento, experiências e integração dos vários grupos que por aqui passaram. O compromisso de todos foi fundamental para o sucesso da feira e o fortalecimento do setor rural”, disse

 Além dos produtos típicos da agricultura familiar, a feira também contou com apresentações culturais de grupos indígenas e cantores locais.

 Produção Orgânica

 Dentro da programação os agricultores receberam informações de como melhorar a qualidade dos alimentos produzidos no campo. A produção orgânica foi tema de uma palestra ministrada pela médica veterinária, Patrícia Rezende, da Delegacia Federal da Agricultura. Durante uma hora e meia, numa conversa bem descontraída, Patrícia mostrou os conceitos, os benefícios e como os alimentos orgânicos podem ser produzidos e comercializados no Estado, obedecendo a legislação orgânica.

 “O consumidor está cada vez mais exigente e entende que a qualidade dos alimentos garante uma vida mais saudáveis e equilibrada. O Tocantins tem potencialidade e condições favoráveis, por isso caminhamos para fomentar junto aos agricultores familiares a produção orgânica. Hoje temos apenas um produtor certificado no Estado”, destacou.

 Produto orgânico

 Considera-se orgânico o produto in natura ou processado obtido em um sistema onde se utiliza princípios agroecológicos, o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, além do respeito às relações sociais e culturais e agropecuária ou extrativismo sustentável.

 Meta

 No ano de 2012, está previsto dentro do Plano Plurianual do Ruraltins, a realização de sete feiras e encontro da agricultura familiar. Com esse evento, em Santa Fé, a meta foi 100% cumprida, proporcionando aos agricultores familiares o fortalecimento organizacional, a comercialização dos produtos e a conquista de novos mercados. Sendo que a cada ano chega a 12 mil o número de agricultores beneficiados com esta ação. (Com informações do Ruraltins)