Campo

Técnicas inovadoras de manejo e gestão. Tudo para melhorar a produção apícola do Sul do Estado. É isso que pretende o Encontro de Inovação Tecnológica para Apicultores, que será realizado nos dias 9 e 10 de novembro, na sede do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, em Gurupi, evento que, segundo o coordenador da carteira de agronegócio do Sebrae, José Daniel Tavares, será focado nas boas práticas de produção e gestão de um apiário, “para que os produtores desta região estratégica possam potencializar o que tem em mãos”.

Durante os dois dias do Encontro, a programação está dividida em clínicas tecnológicas e demonstração prática do manejo. Todas as atividades serão executadas sob quatro temas: “Manejo de Colmeia para Alta Produtividade”, “Gestão de Florada”, “Custo de Produção e Preço de Venda” e “Como Melhorar e Aumentar a Quantidade de Colmeia no Apiário”.  “Todos esses temas vão abordar questões que envolvem a inovação, mas foram pensados principalmente para o que está relacionado à gestão, afinal não adianta ter tecnologia sem saber administrá-la”, justificou o gerente do Núcleo Regional Sul do Sebrae, José Carlos Bessa.

As clínicas tecnológicas serão realizadas no dia 09, na sede do IFTO, em Gurupi e a demonstração prática de manejo acontecerá no dia 10, numa propriedade rural em Crixás do Tocantins, município que fica a pouco mais de 70 km de Gurupi. Estão sendo esperados apicultores de pelo menos oito cidades da Região.

Apicultura no Sul do Estado

A produção de mel no Sul do Estado se tornou mais evidente a partir de 2005. Mas há três anos o Sebrae tem acompanhado mais de perto o trabalho dos apicultores. A cada três meses, eles recebem a visita de um consultor do Sebrae que orienta especialmente sobre gestão e melhoria da produtividade. Hoje o Núcleo Regional Sul atende 15 apiários e cerca de 80 apicultores.

Os resultados da assistência oferecida pelo Núcleo já podem ser mensurados. “Um exemplo é a fazenda em que vamos fazer a demonstração prática no Encontro de Inovação, em Crixás. É um dos locais que tem se destacado aqui na região Sul e já produz 50 kg de mel por ano, o que é um número satisfatório”, afirma o gestor do projeto de Apicultura na Região Sul, Stefane Cardoso Santana. (ASN/TO)