Economia

No mês de outubro o nível de endividamento das famílias em Palmas se mantém estável quando comparado ao mês de setembro, conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor – PEIC, realizada pela Confederação Nacional do Comércio – CNC, em parceria com a Fecomércio Tocantins. Cerca de 78% dos entrevistados admitiram estar endividados, mas apenas 1% disseram não ter condições de pagar.  

Das famílias entrevistadas, 71% se consideram pouco endividadas e grande parcela não tem dívidas em atraso (83,9%). Mas o que preocupa os especialistas é o alto comprometimento da renda com dívidas, 71,2% somam de 11 a 50% de sua renda total com dívidas. Segundo especialistas, o ideal seria o comprometimento de até 30%, pois após esse número a família tende a ter problemas na administração das finanças.  

Um novo dado disponibilizado nessa pesquisa é o tempo da dívida, onde grande parte dos entrevistados expos que suas dívidas ultrapassam os doze meses. Para o presidente da Fecomércio Tocantins, esse dado uni-se ao ranking de dívidas mais frequentes. “Em terceiro lugar, está o financiamento de carro que ultrapassa quase sempre mais de um ano. Mas quando se faz uma dívida como essa, a pessoa tem q avaliar bem sua situação econômica, haja vista que, um carro não se restringe a parcela, mas sim a uma série de despesas como: combustível, manutenção e seguro”, ressaltou o presidente. Em primeiro lugar está o cartão de crédito e em segundo, os carnês.

Se comparado ao mesmo período do ano passado, o endividamento em Palmas teve um aumento de quase 20%. (Ascom Fecomércio)